Peças para o próximo leilão

207 Itens encontrados

Página:

  • GRANDE Hip Flask (GARRAFA DE QUADRIL)EM PRATA DE LEI FINALIZADA EM MARTELE ESTILO E ÉPOCA ART DECO (capacidade para 1/2 litro). CONTRASTADA STERLING. TAMPA ROSQUEÁVEL. CONSTRUIDA COM SUAve curvatura para acomodar-SE ao corpo. reserva com LINDO monograma RBK GRAVADO EM PURO ESTILO ART DECO. as hip flasks são também chamadas garrafas de bolso. Foram muito utilizadas durante o perído da chamada lei seca que vigorou nos EUA NOS ANOS 20 E 30  EUA, INICIO DO SEC. XX. 18 cm de altura.
  • GRANDE Hip Flask (GARRAFA DE QUADRIL)EM PRATA DE LEI guillochada ESTILO E ÉPOCA ART DECO (capacidade para 1/2 litro). CONTRASTADA STERLING. TAMPA ROSQUEÁVEL. CONSTRUIDA COM SUAve curvatura para acomodar-SE ao corpo. reserva com LINDO monograma TFF GRAVADO EM PURO ESTILO ART DECO. as hip flasks são também chamadas garrafas de bolso. Foram muito utilizadas durante o perído da chamada lei seca que vigorou nos EUA NOS ANOS 20 E 30  EUA, INICIO DO SEC. XX. 20 cm de altura.
  • GRANDE Hip Flask (GARRAFA DE QUADRIL) EM PRATA DE LEI MARTELADA ESTILO E ÉPOCA ART DECO (capacidade para um litro). CONTRASTADA STERLING. TAMPA ROSQUEÁVEL. CONSTRUIDA COM SUAve curvatura para acomodar-SE ao corpo. reserva com monograma jsm. as hip flasks são também chamadas garrafas de bolso. Foram muito utilizadas durante o perído da chamada lei seca que vigorou nos eua   NOS ANOS 20 E 30 (VEJA FOTO DE UMA MULHER ESCONDENDO UM Hip Flask EM SUA LIGA NOS ANOS 20 NOS EUA NOS CRÉDITOS EXTRAS DESSE LOTE), EUA, INICIO DO SEC. XX. 22 cm de altura. NOTA: As garrafas de quadril começaram a aparecer na forma como são reconhecidas hoje ainda no século 18, inicialmente usado por membros danobreza.No entanto, versões menos compactas estavam em produção há vários séculos.Notavelmente, naIdade Média.Durante o século XVIII, as mulheres que embarcavam emnavios de guerra britânicoscontrabandearamgimpara dentro do navio através de frascos improvisados, criados a partir de bexigas de porco e escondidos dentro de suassaias.Após o ato deproibiçãona década de 1920 naAmérica, o estado deIndiana proibiu a venda decoqueteleirase hip flasks.As garrafas de quadril antigas, principalmente as de prata, agora são itens de colecionador muito procurados. NaForça Aérea Real, o "hip-flask" era usado como código para umrevólver preso ao corpo. A LEI SECA DOS EUA - Desde o século XIX, várias lideranças políticas e religiosas dos Estados Unidos defendiam que as bebidas alcoólicas deveriam ser amplamente combatidas pelo governo. Muitos defensores da ideia, além de contarem com argumentos religiosos e morais, saiam por aí dizendo que a proibição das bebidas poderia ajudar no desenvolvimento da nação e poderia evitar o risco de autocombustão. No ano de 1917, essa possibilidade ganhou novos reforços. Nesse ano, os EUA entraram na Primeira Guerra Mundial contra as tropas alemãs e austro-húngaras. Os custos gerados pelo conflito exigiam que o país racionasse os alimentos de todas as formas possíveis. Assim, o gasto de trigo e outros cereais para a fabricação de bebida era algo a ser evitado. Além disso, havia outra justificativa nacionalista: consumir cerveja e vinho (bebidas típicas dos alemães) consistia em ato antipatriótico. Em 1920, o Ato Volstead ou Ato de Proibição Nacional entrava em vigor dizendo que qualquer bebida com mais de 0,5% de teor alcoólico seria intoxicante e, portanto, teria sua fabricação, venda, distribuição e consumo terminantemente proibidas. Apesar de rigorosa, a lei não conseguia conter o desejo de milhares de pessoas que desejavam consumir algum tipo de bebida alcoólica. Em alguns casos foram montados vários speakeasies, bares clandestinos em que seus frequentadores consumiam seus tragos de forma discreta. Outros consumidores faziam de tudo para produzir bebidas caseiras de baixa qualidade e, em alguns casos, extremamente tóxicas. Contudo, quem acabou ganhando espaço em meio à ilegalidade foram os gângsteres, que contrabandeavam o produto do Canadá e da Austrália para os vários centros urbanos dos EUA. Com o estouro da crise econômica, em 1929, a oposição à Lei Seca acabou ganhando mais força. Desta vez, os partidários da revogação alegavam que a liberação das bebidas seria uma boa alternativa para a geração de novos empregos no país. Em março de 1933, o governo americano liberou a produção de cerveja. Nove meses mais tarde, a Lei Seca foi derrubada por completo e, ainda hoje, é a única lei revogada na Constituição dos Estados Unidos da América. Do ponto de vista prático, o fracasso da Lei Seca mostrou que a criação de leis que atingem a liberdade individual é um assunto de grande delicadeza. Segundo alguns estudiosos, a violência ligada ao contrabando acabou ocupando e alargando o espaço de todos os crimes ligados ao consumo de álcool. Além disso, ficou claro que nenhuma imposição jurídica tem autonomia para banir hábitos já instalados em uma cultura.
  • CURLING  - PRATA DE LEI VITORIANA - LINDO TINTEIRO EM BELO CRISTAL LAPIDADO E GUARNIÇÃO EM PRATA DE LEI. COM FEITIO DE PEDRA DE CURLING, UM JOGO DE ORIGEM ESCOCESA CRIADO NO SEC. XVI E MUITO POPULAR NOS DIAS DE HOJE EM TODO MUNDO (VIDE FOTO DE ANTIGA AQUARELA RETRANDO O JOGO NOS CRÉDITOS EXTRAS DO LOTE) . GUARNIÇÃO EM PRATA DE LEI COM PEGA EM MADEIRA. MARCAS PARA CIDADE DE LONDRES E LETRA DATA PARA O ANO DE 1896 (PERÍODO VITORIANO). INGLATERRA, SEC. XIX. 12 CM DE DIAMETRO. NOTA: O Curling é praticado em uma pista de gelo com medidas de 42 metros de comprimento por 4,25 metros de largura. Comquatro jogadores por equipe, o jogo tem o objetivo de, após jogadas as 16 pedras de granito que pesam cerca de 19 kg, sendo 8 para cada equipe, colocar a pedra o mais próximo possível do alvo chamado detee. O jogo divide-se em 10 ends, sendo que um end é algo equivalente a um set no tênis. Para o lançamento da pedra, um jogador a empurra dentro da área de impulsão liberando-a na linha limite com um giro, ou mais conhecido como curl, daí surge o nome de Curling. Até chegar no alvo, outros jogadores com as vassouras aumentam a área de atrito escovando o gelo bem a frente da pedra em movimento, criando assim, um caminho em que a pedra deve percorrer. Considerado como o xadrez do gelo, o Curling necessita de habilidade e inteligência para que em cada jogada seja traçada a melhor estratégia para colocar a pedra o mais próximo possível do alvo.
  • GEORGES OMERTH (ATIVO ENTRE 1895-1925)  Alsacienne patriote (ALSACIANA PATRIOTA)  DELICADA ESCULTURA CRISELEFANTINA EM BRONZE ORMOLU SOB BASE EM ONIX. MÃOS E ROSTO ENTALHADOS EM MARFIM. ASSINADA PELO ARTISTA. ESTÁ REPRODUZIDA NO CATÁLOGO Art Deco and Other figure DE Bryan Catley. FRANÇA, ANO DE 1900, SEC. XIX. 21 CM DE ALTURA
  • BACCARAT  RARISISMO PAR DE PINHAS (BOULE D'ESCALIER) DO SUNTUOSO MODELO NIDS D'ABEILLE MONTGOLFIÈRE (FAVOS DE ABELHA MONTGOLFIERE). EXUBERANTE TONALIDADE MERCURISÉE FEUILLES D OR (OURO MERCURIZADO). BASE EM METAL DOURADO. LINDAS, PERFEITAS, MAGNÍFICAS! FRANÇA, SEC. XIX. 14 CM DE ALTURA. BACCARAT - GRANDE PAR DE PINHAS (BOULE DESCALIERS) EM CRISTAL DITO VERMELHO E REQUINTADA CAMADA INFERIOR PRATEADA. LAPIDAÇÃO GEOMÉTRICA. ASSENTES SOBRE BASE EM BRONZE. FRANÇA, SEC. XIX/XX. 25 CM DE ALTURANOTA: Boule DEscalier ou bolas de escada começaram a ser fabricas em cristal pela manufatura SAINT LOUIS em 1845. Além do aspecto ornamental, elas tinham uma razão prática para existir: a conveniência de ocultar intersecção do corrimão no balaústre na base da escada. A manufatura de BACCARAT começou logo a seguir em 1846. Seguiu-lhes a manufatura de CLICHY (1849). A Whiterfriars Manufactory (Reino Unido) começou um pouco atrasada e não lançou as primeiras bolas de vidro até 1855. Inicialmente elas eram em blocos de cristal maciço (e logo depois passaram a ser ocadas). As Grandes cristalleries francesas como Baccarat e Saint-Louis produziram verdadeiras obras de arte cujas facetas capturavam a iridescência azulada da iluminação a gás. Em seguida, a bola foi adornada à maneira do cristal da boêmia, alternando a transparência das peças lapidas com as áreas planas do vidro colorido. Assim o artesão criava efeitos de luz a partir de formas geométricas sob uma segunda camada de cristais coloridos colocados na superfície: técnica chamada de "sobreposição". Das escadas, as Boule DEscaliers passaram a adornar as salas dos colecionadores que reúnem modelos e cores diferentes o que as torna encantadoras e decorativas.
  • EMILE GALLÉ  MONUMENTAL FLOREIRO EM CAMEO GLASS DECORADO COM RAMAGENS E FLORES DE CARDO VERDE LIMA. FUNDO NA TONALIDADE SALMÃO DEGRADÊ. MUITO GRANDE E BELISSIMO! ASSINADA PELO ARTISTA. PEÇA PARA COLECIONADOR! EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO!  FRANÇA, SEC. XIX. 33 CM DE ALTURA. NOTA: ÉMILE GALLÉ - ( Nancy , 08 de maio de 1846 - Nancy , 23 de setembro de 1904) é considerado um dos principais expoentes do movimento Art Nouveau. Seus primeiros trabalhos foram executados usando vidro transparente decorado com esmalte, mas ele logo criou um estilo original que se caracterizava por um vidro pesado, opaco , esculpido ou gravado com motivos vegetais, muitas vezes em duas ou mais cores conhecido como Cameo Glass . Sua carreira decolou depois que sua obra recebeu elogios na Exposição de Paris de 1878 . Dentro de uma década de outra exibição bem sucedida na Exposição de Paris de 1889 , Gallé tinha alcançado fama internacional e seu estilo, com sua ênfase no naturalismo e motivos florais, estava na vanguarda do movimento Art Nouveau emergente. O que é menos conhecido é o engajamento social de Gallé. Ele era um humanista convicto, e esteve envolvido na organização de escolas noturnas para a classe trabalhadora (l ' Université populaire de Nancy ). Ele foi tesoureiro da filial Nancy da Liga dos Direitos Humanos da França e, em 1898, com grande risco para o seu negócio, um dos primeiros a envolver-se ativamente na defesa de Alfred Dreyfus (um capitão do exército francês de origem judaica. Injustamente acusado e condenado por traição - depois anistiado e reabilitado - foi o centro de um famoso episódio de conotações sociais e políticas, durante a Terceira República Francesa, e que ficou conhecido como o caso Dreyfus). .Ele também defendeu publicamente os judeus romenos e falou em defesa dos católicos irlandeses contra a Grã-Bretanha, apoiando William O'Brien , um dos líderes da revolta irlandesa. Em 1901, juntamente com Victor Prouvé ,Louis Majorelle , Antonin Daum e Eugene Vallin , fundou um movimento Art Nouveau conhecida como École de Nancy (A Escola Nancy). Muitas das obras Gallé são mantidos no Musée de l'École de Nancy.
  • RICHARD / LOETZ  MUITO GRANDE FLOREIRO COM FEITIO DE BALAUSTRE DECORADO COM SUNTUOSO CASTELO EM MEIO A UM RIO, PONTE, LUXURIANTE VEGETAÇÃO, MONTANHAS, CEU AVERMELHADO AO ENTARDECER. EXTRAORDINÁRIA DECORAÇÃO E MAGNÍFICO PELO GRANDE TAMANHO! IMPÉRIO  AUSTRO HUNGARO, INICIO DO SEC. XX. 30 X 20 CM.
  • RICHARD / LOETZ  LINDO FLOREIRO EM CAMEO GLASS DECORADO EM RELEVO COM FRUTOS DE ROSA MOUSQUETA. ROSA MOUSQUETA É UM FRUTO VERMELHO BRILHANTE QUE SE DESTACA EM MEIO A VEGETAÇÃO OPACA DE INVERNO. ASSINADO PELO ARTISTA. IMPÉRIO AUSTRO HUNGARO, INICIO DO SEC. XX. 17 CM DE ALTURANOTA: O grande sucesso das peças produzidas em Cameo Glass por Gallé e Daum, além de outros representantes da escola de Nancy redundaram em encomendas desse gênero para LOETZ que empregava como técnica dominante em seu trabalho a produção em vidro artístico ao gosto Austríaco. O mercado voltou-se de tal forma para o Cameo Glass que Loetz para atender a sua demanda passou a fabricar peças com a técnica de Nancy mas como eram peças de encomenda para um encomendante francês os exemplares produzidos por ele eram assinados com o pseudônimo RICHARD.
  • EMILE GALLÉ  RARA BASE DE LUMINÁRIA ASSEMELHADA A FLOREIRO EM CAMEO GLASS COM INCOMUM DECORAÇÃO REPRESENTANDO FUNDO DO MAR COM CORAIS E ALGAS E UMA GRANDE ÁGUA MARINHA (MEDUSA). ASSINADA PELO ARTISTA. PEÇA PARA COLECIONADOR! EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO!  FRANÇA, SEC. XIX. 16,5 CM DE ALTURA. NOTA: ÉMILE GALLÉ - ( Nancy , 08 de maio de 1846 - Nancy , 23 de setembro de 1904) é considerado um dos principais expoentes do movimento Art Nouveau. Seus primeiros trabalhos foram executados usando vidro transparente decorado com esmalte, mas ele logo criou um estilo original que se caracterizava por um vidro pesado, opaco , esculpido ou gravado com motivos vegetais, muitas vezes em duas ou mais cores conhecido como Cameo Glass . Sua carreira decolou depois que sua obra recebeu elogios na Exposição de Paris de 1878 . Dentro de uma década de outra exibição bem sucedida na Exposição de Paris de 1889 , Gallé tinha alcançado fama internacional e seu estilo, com sua ênfase no naturalismo e motivos florais, estava na vanguarda do movimento Art Nouveau emergente. O que é menos conhecido é o engajamento social de Gallé. Ele era um humanista convicto, e esteve envolvido na organização de escolas noturnas para a classe trabalhadora (l ' Université populaire de Nancy ). Ele foi tesoureiro da filial Nancy da Liga dos Direitos Humanos da França e, em 1898, com grande risco para o seu negócio, um dos primeiros a envolver-se ativamente na defesa de Alfred Dreyfus (um capitão do exército francês de origem judaica. Injustamente acusado e condenado por traição - depois anistiado e reabilitado - foi o centro de um famoso episódio de conotações sociais e políticas, durante a Terceira República Francesa, e que ficou conhecido como o caso Dreyfus). .Ele também defendeu publicamente os judeus romenos e falou em defesa dos católicos irlandeses contra a Grã-Bretanha, apoiando William O'Brien , um dos líderes da revolta irlandesa. Em 1901, juntamente com Victor Prouvé ,Louis Majorelle , Antonin Daum e Eugene Vallin , fundou um movimento Art Nouveau conhecida como École de Nancy (A Escola Nancy). Muitas das obras Gallé são mantidos no Musée de l'École de Nancy.
  • ARSALL (Vereinigten Lausitzer Glaswerken) GRANDE FLOREIRO EM CAMEO GLASS DITO SOUFLE ESTILO E ÉPOCA ART DECO, DECORADO COM LUXURIANTES ORQUIDEAS. FEITIO DE OGIVA. ASSINADO. ALEMANHA, INICIO DO SEC. XX. 26 CM DE ALTURA.NOTA: ARSALL é o nome da coleção de peças de vidro lançada pela Vereinigten Lausitzer Glaswerken no inicio do sec. XX. Em 1918 a manufatura registrou a marca ARSAL elaborada a partir da junção dos termos ARS + ALL (ARTE PARA TODOS). A produção era aos moldes da ÉCOLE DE NANCY na França celebrizada por EMILLE GALLE. Na Segunda Guerra Mundial, os arquivos da Vereinigten Lausitzer Glaswerken foram destruídos. Em alguns casos, foram produzidos vasos de vidro com altura de até 90 cm. Vários deles também eram de propriedade da família aristocrática Arnime foram destruídos como resultado da guerra que transformou em escombro o castelo de Muskau. Os vasos ARSALL foram feitos de 1918 a 1929.
  • LOETZ (ASSINADO PELO ARTISTA). GRANDE FLOREIRO EM CAMEO GLASS COM FEITIO DE BALAÚSTRE DECORADO COM ÁRVORES, CENA LACUSTRE E MONTANHAS. TEM UMA PARTICULARIDE QUE O TORNA MUITO RARO POR SER ASSINADO CA LOETZ (ESSA ASSINATURA FOI UTILIZADA PARA PRODUÇÃO DESTINADA AO MERCADO AMERICANO ENTRE OS ANOS DE 1922-1925). COMO DEVE SER NAS PEÇAS ORIGINAIS A FIRMA É APLICADA COM CANETA DE PONTA DE DIAMANTE (QUALQUER ASSINATURA DE LOETZ ASSIDADA É FRUTO DE FALSIFICAÇÃO). CA NESSE CASO PODE SIGNIFICAR COMPANY ANONYME. IMPERIO AUSTRO HUNGARO, DECADA DE XX. 22,5 X 17 CM
  • EMILE GALLÉ - LINDO FLOREIRO EM CAMEO GLASS COM RICA DECORAÇÃO REPRESENTANDO GERÂNIACEAS. ASSINADO PELO ARTISTA. EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO!  FRANÇA, SEC. XIX. 20 CM DE ALTURA. NOTA: ÉMILE GALLÉ - ( Nancy , 08 de maio de 1846 - Nancy , 23 de setembro de 1904) é considerado um dos principais expoentes do movimento Art Nouveau. Seus primeiros trabalhos foram executados usando vidro transparente decorado com esmalte, mas ele logo criou um estilo original que se caracterizava por um vidro pesado, opaco , esculpido ou gravado com motivos vegetais, muitas vezes em duas ou mais cores conhecido como Cameo Glass . Sua carreira decolou depois que sua obra recebeu elogios na Exposição de Paris de 1878 . Dentro de uma década de outra exibição bem sucedida na Exposição de Paris de 1889 , Gallé tinha alcançado fama internacional e seu estilo, com sua ênfase no naturalismo e motivos florais, estava na vanguarda do movimento Art Nouveau emergente. O que é menos conhecido é o engajamento social de Gallé. Ele era um humanista convicto, e esteve envolvido na organização de escolas noturnas para a classe trabalhadora (l ' Université populaire de Nancy ). Ele foi tesoureiro da filial Nancy da Liga dos Direitos Humanos da França e, em 1898, com grande risco para o seu negócio, um dos primeiros a envolver-se ativamente na defesa de Alfred Dreyfus (um capitão do exército francês de origem judaica. Injustamente acusado e condenado por traição - depois anistiado e reabilitado - foi o centro de um famoso episódio de conotações sociais e políticas, durante a Terceira República Francesa, e que ficou conhecido como o caso Dreyfus). .Ele também defendeu publicamente os judeus romenos e falou em defesa dos católicos irlandeses contra a Grã-Bretanha, apoiando William O'Brien , um dos líderes da revolta irlandesa. Em 1901, juntamente com Victor Prouvé ,Louis Majorelle , Antonin Daum e Eugene Vallin , fundou um movimento Art Nouveau conhecida como École de Nancy (A Escola Nancy). Muitas das obras Gallé são mantidos no Musée de l'École de Nancy.
  • BELA NAVETA EM PRATA DE LEI DECORADA COM  ROCAILLES VEGETALISTAS, ESPIGAS DE TRIGO (SÍMBOLO EUCARÍSTICO)  E DIVINO ESPÍRITO SANTO COM FEITIO DE POMBA COM AS ASAS ESTENDIDAS. BRASIL, SEC. XIX. 15,5 CM DE COMPRIMENTO. NOTA: A naveta (do latim naveta, pequena nave, referência ao seu formato) é o vaso destinado a conter os grãos de incenso que são queimados nas celebrações solenes. A naveta começou a ganhar uma forma de navio durante a Idade Média. Isto ao mesmo tempo significada duas coisas: A primeira é a lembrança da Igreja como a Barca de Pedro. A segunda é que nossa vida espiritual deve ser sempre um caminho, daqui às Mansões Eternas. O navio simboliza esta mobilidade. É conduzida nas procissões por um acólito ou coroinha denominado naveteiro ou naviculário. Chegando à frente do altar, o naveteiro faz uma reverência breve (inclinando apenas a cabeça) e aguarda com o turiferário à direita do altar a chegada do sacerdote e a incensação da cruz e do altar. Nos demais momentos da celebração em que se usa o incenso (Evangelho, Apresentação das Oferendas e Sanctus) o naveteiro igualmente acompanha o turiferário, apresentando a naveta ao sacerdote ou diácono quando necessário. Nas demais celebrações feitas com solenidade em que se utiliza o incenso, o naveteiro também acompanhe o turiferário seguindo as orientações dos livros litúrgicos para cada celebração.
  • RARA SACRA EM MADEIRA ENTALHADA E DOURADA ESTILO E ÉPOCA DOM JOSÉ I. RESQUICIOS DE INSCRIÇÕES. BRASIL, SEC. XVIII. 25 X 27 CM. NOTA: As SACRAS continham textos em latim utilizados para a celebração da missa. Eram uma espécie de lembrete a memória do sacerdote porque continham as orações a serem proferidas nas celebrações. No século XIX, as sacras começaram a assumir a forma de porta-retratos, que emolduravam os textos protegidos com vidro. Esse elemento litúrgico caiu em desuso no inicio do sec. XX.
  • O ARCANJO RAFAEL GUIA TOBIAS A RAGÉS - placa de peregrino da terra santa  raro medalhão em madeira de oliveira recoberta com placagem em madreperola esgrafitada em negro com RESQUÍCIOS DE ARREMATES EM VERMELHO. na parte inferior EMBLEMA DOS CAVALEIROS DA ORDEM DO  SANTO SEPULCRO, CUJOS CAVALEIROS ERAM NOMEADOS PELA MAIS ALTA AUTORIDADE RELIGIOSA DA TERRA SANTA, A CUSTÕDIA DA TERRA SANTA LIDERADA A PARTIR DO SEC XV PELOS FRANCISCANOS. NA PARTE SUPERIOR A REPRESENTAÇÃO DO OLHO DA PROVIDENCIA (O OLHO DE DEUS QUE TUDO VÊ DENTRO DE UM TRIANGULO QUE REPRESENTA A SANTÍSSIMA TRINDADE). DO LADO ESQUERDO O CRISTOGRAMA JESUS SALVADOR DOS HOMENS E DO LADO DIREITO O NOME DE DEUS EM GREGO. EM RESERVA O ANJO DE terra santa, sec. xvIIi. 19 cm de altura.NOTA: O reino de Israel durou duzentos e cinqüenta e quatro anos, e teve dezenove reis, todos ímpios. Freqüentemente mandou-Ihes Deus profetas para admoestá-los e levá-los a eles e a seus súditos à prática do verdadeiro culto, mas inutilmente. As ameaças dos profetas foram desprezadas e os mesmos profetas foram encarcerados, exilados ou mortos. Tantas iniquidades esgotaram a misericórdia do Senhor, que entregou o povo e o rei de Israel nas mãos de seus inimigos. O último rei de Israel foi Oséias, sob cujo governo teve fim aquele reino. No princípio ele tentou libertar-se do jugo dos Assírios de quem se tinha tornado tributário; mas, indignado, Salmanassar, rei da Assíria, marchou com poderoso exército para expugnar Samaria. Depois de três anos de cerco, apoderou-se da cidade, prendeu Oséias e meteu-o a ferros. Depois de submeter todo o reino ao seu poder, levou o rei e o povo para a Assíria e para a Média, donde não mais voltaram. Os Israelitas padeceram na Assíria duríssima escravidão; muitas vezes faltou-lhes um pedaço de pão para matarem a fome e um trapo para se vestirem. Muitos foram assassinados e seus cadáveres atirados fora dos muros da cidade para servirem de pasto às aves de rapina e a outros animais ferozes, sem que se lhes pudesse dar sepultura, sendo isto proibido por uma lei desumana. Assim aquele povo, que fora surdo aos repetidos avisos dos profetas do Senhor, pagava o duro preço de suas infidelidades. Deus, que é sempre bom, mandou um consolador aos pobres Israelitas. Foi o piedoso Tobit, homem educado no santo temor de Deus, grandemente estimado pela sua piedade e paciência. Levado ao cativeiro com os outros, à vista de seus irmãos oprimidos, dedicou-se ao santo mister de consolar os aflitos, de alimentar e vestir os necessitados e sepultar os mortos. Quando sabia que um Israelita morto era atirado em qualquer canto, deixava o que estava fazendo e aproveitava da escuridão da noite para enterrá-lo. O rei cruel, tendo notícia de semelhantes fatos e de como Tobit dispensava seus bons ofícios aos seus irmãos de exílio, mandou que fosse espoliado de todos os bens e condenado à morte. Apesar disso, o Senhor conservou-lhe a vida: fugindo à cólera do rei, ficou escondido por algumas pessoas piedosas, em companhia de sua mulher e seu filho Tobias. Pouco depois, tendo sido assassinado esse rei cruel, pôde Tobit continuar no desempenho de seu piedoso mister. Um dia, tendo-se sentado à mesa para jantar, veio seu filho adverti-lo de que haviam deixado na praça um cadáver. Levantou-se imediatamente da mesa, foi buscar o cadáver e o ocultou em casa, sepultando-o depois durante a noite, mostrando assim quanto era constante e qual o seu ardor no exercício da caridade. A virtude de Tobit foi experimentada por Deus com grandes tribulações. Uma ocasião, após ter passado a noite inteira a dar sepultura aos mortos, voltava para casa ao clarear do dia, e prostrado de cansaço deitou-se perto de um muro sobre o qual havia um ninho de andorinhas, e ali adormeceu. Durante o sono caiu-lhe nos olhos um pouco de cisco quente do ninho daqueles passarinhos e ficou cego. Nesse mísero estado, conservou-se sempre fiel ao Senhor. Nada temia tanto como o pecado e até a sombra dele. Sua mulher que o sustentava com o seu trabalho, levou para casa um dia um cabrito que lhe haviam dado como paga. O cego, ouvindo-o berrar, disse: Vê lá que esse cabrito não tenha sido roubado! Se o foi, mulher, volta imediatamente a restituí-lo ao seu dono. Não devemos lançar mão da mínima coisa pertencente aos outros. Oprimido por tantas desventuras, Tobit pediu ao Senhor que o chamasse à outra vida. Supondo que Deus ouvira o seu pedido, deu ao filho estas lembranças: Meu filho: recomendo-te que respeites sempre tua mãe e nunca te esqueças do que ela sofreu por ti. Não se apague ele tua mente a imagem de teu Deus e guarda-te do pecado e de fazer algo contra os mandamentos divinos. Tem compaixão dos pobres e Deus terá compaixão de ti. Faze esmola; se tiveres pouco, desse mesmo pouco dá o que puderes, mas dá de boa vontade. A esmola apaga os pecados, faz achar misericórdia diante de Deus e conduz à vida eterna. Nas dúvidas, aconselha-te com homens prudentes, mas não te associes nunca aos perversos. Foge da soberba e preserva-te da impureza. O filho, todo comovido, respondeu-lhe: Meu pai, farei tudo quanto me disseste. E manteve fielmente a sua promessa. O bom Tobit não morreu então, como supunha. O Senhor conservou-lhe a vida para fazê-lo gozar inefáveis, consolações, por meio de seu filho chamado também Tobias. Um dia disse o velho a seu filho: Tobias, emprestei dez talentos de prata a Gabel, que reside em Rages, cidade da Média. Eis o documento relativo. Apresentando-lho, ele te restituirá logo o dinheiro. Mas como tu não sabes o caminho, vai procurar algum amigo fiel que te possa guiar. O filho obediente saiu de casa e encontrou um jovem prestes a empreender uma viagem. Ignorando que o desconhecido fosse um anjo de Deus, disse-lhe delicadamente: Bom jovem, quem és tu? Conheces a estrada que conduz à Média? E o jovem respondeu: Eu sou Israelita e conheço bem o caminho de que falas, pois morei muito tempo em Rages, na casa de Gabel. Tobias, com o consentimento do pai, partiu com o anjo Rafael, que disfarçado sob aparência humana e sem dar-se a conhecer, prontificou-se a acompanhá-lo. Chegando à margem do Tigre, um peixe monstruoso atacou o jovem Tobias, e já parecia que ia devorá-lo, quando o Arcanjo lhe disse que não temesse e que segurasse o peixe, o matasse e lhe tirasse o fígado, com o qual faria um remédio para curar o pai. Uma viagem iniciada sob tão bons auspícios não podia terminar senão próspera e feliz. E de fato, o anjo não só fez com que Tobias recebesse o dinheiro que fora buscar, como também procurou, e conseguiu que o mesmo desposasse uma rica e virtuosíssima donzela de nome Sara, filha única de Raguel. Entretanto, Tobias e sua mulher esperavam ansiosos pela demora. Muitas vezes a mãe, do alto de um monte, procurava impaciente ver se o descobriria ao longe. Por muitos dias foi vã a sua expectativa. Finalmente avistou-o um dia e satisfeitíssima, correu a dara boa nova. o marido. O velho Tobit, apesar de cego, quis ir ao encontro do amado filho. Os pais o abraçaram com ternura. Isto era apenas o início das grandes consolações que ao velho Tobit queria a bondade divina conceder.O jovem Tobias unge os olhos do pai com o fel do peixe, e o velho imediatamente recupera a vista, e pode ver, não somente o filho amado, mas ainda observa a esposa, admira suas singulares qualidades e as grandes riquezas que trouxera consigo. Espalhada a noticia da volta do filho de Tobias e de como o bom pai tinha sido curado, seus parentes se reuniram para dar graças ao Senhor e festejar o acontecimento. Em presença de todas essas pessoas, enumerou o filho os solenes benefícios que havia recebido do companheiro de viagem, que ainda julgava ser um homem. Querendo de alguma maneira recompensá-lo, pediram-lhe quisesse aceitar metade das riquezas que havia trazido. O anjo então deu-se a conhecer e disse ao velho: Agora é tempo de eu manifestar a verdade. Quando sepultavas os mortos e te ocupavas em obras pias ou em fervorosas orações, eu oferecia tudo ao Senhor. E porque êle te amava, quis que a cegueira aumentasse teu merecimento; depois mandou-me Deus a mim para curar-te e trazer-te todos estes bens. Pois que eu sou o anjo Rafael, um dos sete espíritos que estamos continuamente na presença de Deus. Louvai, pois, ao Senhor e contai a todos as suas maravilhas. Dito isto, desapareceu. Eles ficaram por três horas prostrados no chão bendizendo o nome de Deus. Tobit viveu ainda quarenta e dois anos; sentindo, depois, que se avizinhava a hora de sua morte, chamou o filho e recomendou-lhe que se mantivesse fiel e constante no santo serviço de Deus. Depois serenamente expirou, na paz do Senhor, com cento e dois anos de idade. O filho Tobias atingiu a idade de noventa e nove anos. Ele, seus filhos e netos imitaram as virtudes paternas; por isso foram sempre benquistos dos homens e abençoados por Deus.
  • são sebastião  placa de peregrino da terra santa  raro medalhão em madeira de oliveira recoberta com placagem em madreperola esgrafitada em negro e rematada com detalhes em vermelho. na parte inferior figuração do divino espírito santo. em reserva, são sebastião representado estando atado a uma árvore, com o corpo perfurado por flechas. terra santa, sec. xviii. 20,5 cm de altura.nota: Feitos em madeira de oliveira e com aplicações de madrepérola, esta produção é um trabalho  muito característico da Terra Santa e durante séculos foram feitas pelos franciscanos, que as vendiam aos peregrino. Sao Francisco de Assis visitou a Terra Santa por volta do ano de 1219, que estava na época sobre domínio do Islã e instalou aí uma missão, obtendo do Papa a custódia sobre os lugares santos do cristianismo. Até 1847 os franciscanos cumpriram escrupulosamente essa missão confiada pela igreja e para sobreviverem, vendiam aos peregrinos crucifixos, registos e rosários feitos com materiais abundantes na região, a madeira de oliveira, e a madrepérola, recolhida nas margens do Mar Vermelho. Por essa razão, estas peças são frequentemente decorados com motivos alusivos à Ordem de S. Francisco, como as insígnias da Ordem, imagens de S. Francisco ou de outros santos franciscanos.
  • muito grande resplendor em prata de lei. trabalho erudito de grande qualidade! reserva central com rocailles relevadas. brasil, sec. xviii. 35 x 27 cm
  • importante crucifixo seiscentista em prata de lei e pedrarias. construido em placa revestida na parte superior por filigrana com aplicação de pedras presas a estrutura por parafusos e porcas também em prata. cristo em prata de lei. peça importante e própria para alto colecionismo. portugal, sec. xvii. 35 cm de altura
  • BACCARAT- "Carafe de Fantaisie" LINHA CZAR - GRANDE DECANTER EM CRISTAL DOUBLE COUCHE NAS TONALIDADES TRANSLÚCIDO E AMETISTA. INTEGRA AS CÉLEBRES PRODUÇÕES DE BACCARAT DITAS "CarafeS de Fantaisie" DA LINHA  CZAR  REPRODUZINAS NO "Catalogue Art de La Table" (catálogo de 1916) DA MANUFATURA. FRANÇA, INICIO DO SEC. XX. 43 CM DE ALTURA

207 Itens encontrados

Página: