Peças para o próximo leilão

207 Itens encontrados

Página:

  • ELEGANTE CAFETEIRA E AÇUCAREIRO EM PRATA DE LEI. CORPO LISO ASSENTE SOBRE PÉS EM SAPATA ESTILO GEORGIANO. CAFETEIRA DOTADA DE CABO EM MADEIRA. BRASIL. SEC. XX 19 CM DE ALTURA (CAFETEIRA) 460 G
  • MAGNÍCO PAR DE SUPORTES PARA INCENSO EM EXCEPCIONAL  CLOISONEE COM FEITIO DE FIGURAS FEMININAS, MONTADAS A CAVALO, SEGURANDO FLOR DE LOTUS DE ONDE PARTE BELA FENIX DOURADA. PEÇAS REALMENTE BONITAS E ELEGANTES. CHINA, INICIO DO SEC. XX 45 CM DE ALTURA
  • ANTIGA ESCULTURA EM MARFIM REPRESENTANDO FIGURA DE IMPERADOR SEGURANDO SUA BARBA COM UMA DAS MÃOS E NA OUTRA ESPADA. ASSINADO SOB A BASE. MAGNIFICA PELA QUALIDADE, DECORAÇÃO, DIMENSÃO E CONSERVAÇÃO! CHINA, SEC. XIX. 31 CM DE ALTURA
  • WENCHANG WHANG - BELA ESCULTURA EM MARFIM DE MUITO BOA QUALIDADE REPRESENTANDO WEN CHANG O DEUS DA LITERATURA PARA OS CHINESES. ASSENTE SOBRE BASE EM MADEIRA. CHINA, SEC. XIX. 30 CM DE ALTURA.NOTA: Wenchang teve vários títulos, mas foi oficialmente reconhecido por Yen Yu, da Dinastia Mongol, em 1314 dC, como Apoiador da Dinastia Yuan (Mongol), Difusor de Renovação de Influências, Ssu-lu de Wenchang, Deus e Senhor.  Ele é frequentemente chamado por estudiosos e estudantes para obter ajuda acadêmica. Existem muitos templos e santuários diferentes dedicados à adoração a Wenchang Wang, o mais notável é o templo de Zitong em Wenchang, localizado na moderna Montanha Qiqu. Esta famosa montanha é a localização da maior floresta de ciprestes da China e a origem da cultura Wenchang. Como Sichuan (onde está localizada a montanha Qiqu) fica principalmente no sul, há um ditado: "No norte há Confúcio e no sul há Wenchang". Há também dois templos notáveis dedicados a adorar Wenchang Di Jun em Taichung: um fica no distrito de Beitun em Taichung , aparentemente construído em 1863 como um meio de facilitar o aprendizado nos grupos de pessoas em desenvolvimento. O outro templo fica no distrito de Nantun de Taichung, construído em 1825. Ambos os templos estão virados para o sul, o que aparentemente se deve a um princípio do feng shui . A prática de adorar Wenchang Wang tem uma longa história; era popular no passado porque ele podia ser venerado pelos ricos e pelos pobres. Ele ainda é frequentemente adorado agora pelas mesmas razões. O terceiro dia da segunda lua do calendário lunar chinês é o aniversário de Wenchang. As pessoas geralmente comemoravam seu aniversário visitando seus templos, todos os funcionários e estudiosos do condado tinham que ir ao templo de Wenchang para fazer oferendas, sacrifícios ou recitar poemas.
  • BELO NETSUKE EM MARFIM POLICROMADO REPRESENTANDO ANCIÃO ESCREVENDO EM PERGAMINHO TENDO AOS PÉS UMA GARÇA. ASSINADO SOB A BASE. EXCEPCIONAL QUALIDADE! INICIO DO SEC. XX. 5,5 CM DE ALTURA
  • BELO NETZUKE EM MARFIM POLICROMADO REPREENTANDO KUKUROKUJO DIVINDADE DA RIQUEZA, LONGEVIDADE E SABEDORIA. ASSINADO SOB A BASE. EXCEPCIONAL QUALIDADE! INICIO DO SEC. XX. 5,5 CM DE ALTURA
  • NETSUKE BELO NETSUKE EM MARFIM REPRESENTANDO FIGURA DE MACACA TRAZENDO SUA CRIA AS COSTAS E SEGURANDO NA MÃO UM GRANDE PEIXE PARA O QUAL APONTA.  MUITO BOA QUALIDADE! CHINA, SEC. XIX. 4 CM DE ALTURA
  • NETSUKE BELO NETZUKE EM MARFIM REPRESENTANDO FIGURA DE ESQUILOS SOBRE UM JARRO. ASSINADO SOB A BASE.  CHINA, SEC. XIX. 4 CM DE ALTURANOTA: Netsukes são esculturas em miniatura que foram inventados no século 17 no Japão para servir uma função prática (os dois caracteres japoneses ne + tsuke significam "raiz" e "para anexar"). Vestuário-vestes tradicionais japoneses chamados kosode e kimono  não possuem bolsos; No entanto, homens que os usavam precisavam de um lugar para guardar seus pertences pessoais, tais como tubos, tabaco, dinheiro, selos, ou medicamentos. A solução foi a colocar esses objetos embalados em recipientes (chamados Sagemono) pendurados por cabos de cintos dos mantos ( obi). Os recipientes podem ter sido bolsas ou pequenos cestos, mas as mais populares eram caixas bem trabalhada ( inro ), que foram mantidas fechadas por cabos e tampas deslizantes. Seja qual for a forma do recipiente, o fixador que garantiu  fixação do  cabo na na vestimenta era um botão esculpido chamado netsuke .
  • BELA ESCULTURA EM ROSEWOOD DITA MADEIRA DE ROSEIRA" .  REPRESENTA FIGURA DE PESCADOR SEGURANDO GRANDE CARPA. CHINA, FINAL DO SEC. XIX/XX. 42 CM DE ALTURA. MARCAS DO TEMPO
  • FUKUROKUJO  DEIDADE DA RIQUEZA, LONGEVIDADE E SABEDORIA. ANTIGA ESCULTURA EM MADEIRA REPRESENTANDO FOKUROKUJO MONTANDO UM CERVO. CARREGA NAS MÃOS O CAJADO E UM ROLO DE PERGAMINHO ONDE ESTÁ REGISTRADA A SABEDORIA DO MUNDO. ESCULTURA DE MUITO BOA QUALIDADE! CHINA, DINASTIA QING, SEC. XIX. 41 CM DE ALTURA. MARCAS DO TEMPO
  • HUIZHOU -  RIQUISSIMA TALHA ORIENTAL ARTISTICAMENTE ESCULPIDA EM GRANDE COLMO ÚNICO DE BAMBU. NA PARTE FRONTAL É RECOBERTA EM OURO E NA TRASEIRA PINTADA EM VERMELHO CAMARÃO. TRATA-SE DE UM TRADICIONAL GÊNERO DE ESCULTURA CHAMADO HUIZHOU EM ALUSÃO A REGIÃO ONDE É TRADICIONALMENTE EXECUTADA DESDE A DINASTIA MING NO SEC. XV. ESTA TALHA EM PARTICULAR TEM UMA INACREDITAVEL RIQUEZA DE DETALHES E UMA INCRIVEL QUALIDADE ESCULTÓRICA. DESCREVE UMA CENA DE BATALHA COM A DEFESA DE UMA CIDADE. NAS PARTES INFERIORES GUERREIROS E CAVALEIROS COM LANÇAS E ESPADAS SE DEGLADEIAM EM LUTA. NA PARTE SUPERIOR O PORTÃO DA CIDADE COM VIGIAS NA TORRE. A ENTRADA DA CIDADE É GUARDADA POR DOIS SOLDADOS E UMA DIVINDADE. NA PARTE SUPERIOR DOIS VIGIAS.  NA PARTE FRONTAL É RECOBERTA EM OURO E NA TRASEIRA PINTADA EM VERMELHO CAMARÃO. PENDE DA TALHA UM BELO PENDURADOR EM METAL BASTANTE ELEGANTE. OBRA IMPORTANTE E BELÍSSIMA. CHINA, SEC. XIX. 67 X 15 CMNOTA: Na cultura tradicional chinesa, o bambu é um símbolo da beleza oriental. Representa integridade moral, resistência, modéstia e lealdade. Para outros, significa solidão e elegância. Essa versatilidade o tornou um dos principais temas de pinturas, caligrafia e poemas chineses. Por milhares de anos, gerações de artistas elogiaram o bambu, usando-o para esculturas e desenhos. Huizhou fica na junção de três províncias - Anhui, Zhejiang e Jiangxi. Com seu charme e decorações esculpidas, a arquitetura antiga e as obras de arte de Huizhou receberam atenção mundial. A arte tradicional de decorações arquitetônicas esculpidas significa a harmonia entre solidez estrutural e estética. Os artesãos esculpem as peças de construção de acordo, e as figuras e cores são naturais e adequadas. A escultura em bambu, juntamente com a escultura em madeira, pedra e tijolo, é conhecida como as quatro maravilhas da escultura em Huizhou. Elas são suaves e elegantes - como uma pintura chinesa.  A escultura em bambu de Huizhou é uma parte importante da arte chinesa de bambu. Foi  em meados da dinastia MING que a escultura em bambu se tornou gradualmente uma forma de arte independente. Como o bambu carrega as conotações culturais de integridade moral, isolamento e uma pessoa de honra, era consistente com as necessidades psicológicas da inteligência da época. Assim, a escultura em bambu ganhou prestigio.  Primeiro, os artesãos procuravam desenhar uma figura do objeto e selecionar a matéria-prima. Os colmos de bambu de três a cinco anos de idade eram os preferidos. Os colmos selecionados necessariamente deveriam estar livres de danos e cortados de novembro a janeiro, quando o teor de umidade do bambu é baixo.Em seguida, os colmos eram secos verticalmente na sombra com ventilação, evitando a luz solar direta. A casca verde deve era removida da superfície do bambu, que era então tratado com produtos para evitar danos causados por fungos e insetos. Os colmos eram então fervidos para drenar a glicose. Depois, os artesãos poliam a superfície do bambu e usavam um lápis para desenhar um padrão de escultura na superfície com um pedaço de papel duplicado. Eles usavam uma faca afiada para modelar o contorno do padrão e, em seguida, uma faca para detalhar a escultura. Existem principalmente dois tipos de escultura em bambu - escultura em superfície, que existe em duas formas: intaglio e rebaixo; e escultura tridimensional. O passo final era concluir o trabalho com a cor certa, geralmente vermelho escuro ou cor de café. Escultura de bambu tem uma longa história na China. Os escultores antigos absorveram habilidades de caligrafia e pintura e criaram trabalhos de escultura em bambu de alta qualidade.
  • ELEGANTE CATA MIGALHAS EM PRATA DE LEI COM RICOS CINZELADOS FLORAIS. FEITIO RETANGULAR COM EXTREMIDADES EM MOVIMENTO CONTRA BOMBE.  PEGA EM MADEIRA COM FIEITO DE BALAUSTRE. ELEVADO SOBRE QUATRO PÉS EM GARRA COM INTERIOR EM IMPECAVEL VERMEIL. BRASIL, SEC. XX. 21 CM DE COMPRIMENTO. 650 G
  • JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA (FORMA TERNO COM O APRESENTADO NOS DOIS LOTES ANTERIORES)  PAISAGEM RURAL -  ASSINADO E DATADO 1954. PRIMEIROS ANOS DA CARREIRA DO ARTISTA. ÓLEO SOBRE PLACA DE MADEIRA ALMOFADADA NO VERSO. ASSINADA E DATADA NO VERSO. LINDA CENA COM PAISAGEM MOSTRANDO ÁRVORES, ANIMAIS PASTANDO E AO CENTRO BELA ÁRVORE FLORIDA. 16 X 14 CM SOMENTE A PINTURA E 29 X 27 CM (CONSIDERANDO O TAMANHO DA MOLDURA).
  • JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA (FORMA TERNO COM O APRESENTADO NO LOTE ANTERIOR E NO PRÓXIMO)  PAISAGEM RURAL -  ASSINADO E DATADO 1954. PRIMEIROS ANOS DA CARREIRA DO ARTISTA. ÓLEO SOBRE PLACA DE MADEIRA ALMOFADADA NO VERSO. ASSINADA E DATADA NO VERSO. CENA COM PAISAGEM MOSTRANDO CASA E MUITAS ÁRVORES. 16 X 14 CM SOMENTE A PINTURA E 29 X 27 CM (CONSIDERANDO O TAMANHO DA MOLDURA).
  • JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA  PAISAGEM RURAL  - (FAZ  PARTE DE UM TERNO APRESENTADO NESSE LOTE E NOS DOIS PRÓXIMOS)  ASSINADO E DATADO 1954. PRIMEIROS ANOS DA CARREIRA DO ARTISTA. ÓLEO SOBRE PLACA DE MADEIRA ALMOFADADA NO VERSO. ASSINADA E DATADA NO VERSO. CENA DINÄMICA COM PAISAGEM MOSTRANDO CASA, ÁRVORES, ÁRVORES CORTADAS.  NA PINTURA E TAMBÉM NO VERSO. OLEO SOBRE CARTÃO. BELA OBRA! RETRATA TERREIRO COM CASA RURAL, ÁRVORES E CAMPO AO FUNDO. OBRA BELÍSSIMA! 16 X 14 CM SOMENTE A PINTURA E 29 X 27 CM (CONSIDERANDO O TAMANHO DA MOLDURA).
  • JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA  CASA COM TERREIRO (FAZ  PARTE DE UM TERNO APRESENTADO NESSE LOTE E NOS DOIS PRÓXIMOS) -  ASSINADO E DATADO 1981 NA PINTURA E TAMBÉM NO VERSO. OLEO SOBRE CARTÃO. BELA OBRA! RETRATA TERREIRO COM CASA RURAL, ÁRVORES E CAMPO AO FUNDO. OBRA BELÍSSIMA! 34 X 30 CM SOMENTE A PINTURA E 58 X 54 CM (CONSIDERANDO O TAMANHO DA MOLDURA).
  • Continuaremos a apregoar a importante COLEÇÃO DE OBRAS DO PINTOR PRIMITIVISTA JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA. Trata-se de uma representativa coleção do artista formada por tradicional família do município de SÃO JOSÉ DO RIO PRETO no noroeste paulista, cidade em que JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA viveu a maior parte de sua vida. As obras foram adquiridas diretamente das mãos do artista e são tanto mais valiosas por pertencerem à fase de maior importância na produção do pintor. Assim temos obras desde o principio de sua atividade na década de 50 até o apogeu da maturidade artística nas décadas de 60, 70 e inicio de 80. A oportunidade que se apresenta de reunir em um só pregão, tantas e tão belas obras desse artista, é um feito quase inédito no mercado do pintor cuja obra tem merecido atualmente grande atenção no mercado inclusive com valorização de preços. Essa ressignificação da obra de JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA,  dá-se pela importância  da sua produção ao retratar ao longo de cinco décadas as mudanças e transformações de um pais eminentemente agrário para urbano. Assim desde o final da década de 40 quando Pietro Maria Bardi (1900-1999), então diretor do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) adquiriu um lote de suas obras e as incorporou ao acervo desse importante museu, JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA narrou através de sua obra o movimento de transformação da mata em lavoura e a modernização de costumes.  CONTINUAREMOS COM O LOTE QUE SEGUE: JOSÉ ANTÔNIO DA SILVA  GADO NELORE NO PASTO -  ASSINADO E DATADO 1980. OST . BELA OBRA. RETRATA CENA CAMPESINA CARACTERÍSTICA APRESENTANDO EM PRIMEIRO PLANO GADO NELORE NO PASTO EMOLDURADO POR ÁRVORES COM CASAS DE JOÃO DE BARRO , AO FUNDO CASEBRE, CÉU COM NUVENS E AVES VOANDO. OBRA BELÍSSIMA! 44 X 32 CM SOMENTE A PINTURA E 64 X 54 CM (CONSIDERANDO O TAMANHO DA MOLDURA).NOTA: Artista (pintor e escritor) autodidata, pintou o desbravamento e a implantação da agricultura na região noroeste do estado de São Paulo. Viveu a maior parte de sua vida na cidade de São José do Rio Preto onde existe um museu, fundado por ele próprio, com algumas de suas obras. É considerado um artista naif ou primitivo. Autor de livros, como o "Romance de minha vida", publicado em 1949, "Maria Clara" em 1970 e "Sou pintor, sou poeta" em 1981, Também gravou dois Long Plays em Vinil contando "causos" e falando sobre sua vida. Foi retratado em um curta-metragem dirigido por Carlos Augusto Calil " Quem não conhece o Silva?". Retratou em sua obra a transformação da mata em lavoura e a transformação de um país agrário em urbano. Em 1931, José Antônio da Silva mudou-se para São José Do Rio Preto. Participou da exposição de inauguração da Casa de Cultura da cidade, em 1946, suas pinturas chamaram atenção dos críticos, Lourival Gomes Machado (1917-1967) Paulo Mendes de Almeida (1905-1986) e do filósofo João Cruz e Costa. A partir daí o autodidata de formação, que exerceu também atividades na lavoura até ser descoberto passou a dedicar-se a pintura. Dois anos depois, realiza mostra individual na Galeria Domus, em São Paulo. Nessa ocasião Pietro Maria Bardi (1900-1999), diretor do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp), adquire seus quadros e deposita parte deles no acervo do museu. O Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP) edita seu primeiro livro, Romance de Minha Vida, em 1949. Na 1ª Bienal Internacional de São Paulo, em 1951, recebe prêmio aquisição do Museum of Modern Art (MoMA) Museu de Arte Moderna de Nova York. Em 1966, Silva cria o Museu Municipal de Arte Contemporânea de São José do Rio Preto e grava dois LPs, ambos chamados Registro do Folclore Mais Autêntico do Brasil, com composições de sua autoria. No mesmo ano, ganha Sala Especial na 33ª Bienal de Veneza. Publica ainda os livros Maria Clara, 1970, com prefácio do crítico literário Antônio Candido (1918); Alice, 1972; Sou Pintor, Sou Poeta, 1982; e Fazenda da Boa Esperança, 1987. Transfere-se de São José do Rio Preto para São Paulo, em 1973. Em 1980, é fundado o Museu de Arte Primitivista José Antônio da Silva (MAP), em São José do Rio Preto, com obras do artista e peças do antigo Museu Municipal de Arte Contemporânea. Apresenta em suas telas espaços amplos, abertos e temas ligados a vida no campo, como o algodoal, os cafezais e o boi no pasto, que acabam tornando-se sua produção mais conhecida. Como nota o crítico P.M. Bardi, o artista revela grande espontaneidade na abstração dos detalhes em suas telas, onde, por exemplo, fileiras de pontos brancos indicam o algodoal. Destacam-se em sua obra o desenho expressivo, o senso da cor e o caráter de fantasia. Silva percorre uma grande variedade de temas: natureza-morta, pintura sacra, marinha, pintura histórica e de gênero. Algumas telas possuem um tom irônico. Nos quadros realizados a partir da década de 1970, o artista cria maior distinção entre a figura e o plano de fundo, empregando também grandes planos de cores.
  • SÃO JOÃO BATISTA  LINDA ESCULTURA EM MADEIRA ENTALHADA, MAGNIFICAMENTE POLICROMADA E DOURADA. EXPRESSIVOS OLHOS EM VIDRO! REPRESENTA FIGURA DE SÃO JOÃO BATISTA QUE APONTA PARA CORDEIRO, SEU ATRIBUTO MAIOR. MERECEM DESTAQUE AS VESTES DESSA IMAGEM TANTO PELO INCRÍVEL MOVIMENTO (PARECEM VOAR AO VENTO) QUANTO PELA POLICROMIA EXCEPCIONALMENTE BELA REMATADA EM PONTA SECA E A ELABORAÇÃO DA ESCULTURA. SOB A BASE ETIQUETA DO ATELIER DO ARTÍFICE JOÃO PEREIRA CAMPOS, DA CIDADE DO PORTO. PORTUGAL, SEC. XIX. 35 CM DE ALTURA
  • EXTRAORDINÁRIO CONJUNTO COM OITO MAGNIFICAS CADEIRAS  DOM JOÃO V CONSTRUIDAS EM JACARANDÁ COM ASSENTOS FORRADOS EM TECIDO ADAMASCADO. FABULOSOS PÉS DE GARRA E BOLA. ESPALDAR ALTO COM SUPORTE DECORADO EM FRISOS CAPRICHOSAMENTE REVIRADO NAS LATERAIS SUPERIORES. O ESPALDAR É AINDA REMATADO POR REQUINTADA DECORAÇÃO DE VOLUTAS NO ÁPICE. AO CENTRO, CARTELA VASADA COM BELÍSSIMO DESENHO. ASSENTO ELEGANTEMENTE ONDULADO POSSUI MOVIMENTO BOMBÊ FRONTALMENTE REMATADO POR VOLUTA. PERNAS DIANTEIRAS DE SAÍDA PROEMINENTE. CURVAS E RECURVAS COM JOELHEIRAS REVESTIDADES DE ACANTOS E VOLUTAS. FINALAM EM ARTÍSTICOS PÉS DE GARRA E BOLAS. PERNAS TRASEIRAS COM MOVIMENTO DE SABRE. SÃO CONTRUÍDAS COM ENCAIXES CARACTERÍSTICOS DE ALTA E ANTIGA FORNITURA. TODAS ESSAS CARACTERISTICAS TORNAM ESSE CONJUNTO EXEMPLAR NA FORMA E NO ESTILO DA FORNITURA
  • IMPORTANTES TOCHEIROS ESCULPIDOS EM JACARANDÁ COM FEITIO DE BALAÚSTRE DE TRADIÇÃO BANDEIRISTA PAULISTA. IMPONENTES E DE ELEGANTE CONTRUÇÃO! BRASIL, SEC. XVIII/XIX. 103 CM DE ALTURANOTA: O uso de estruturas em balaústre não é exclusivo do período colonial paulista mas foi muito empregado tanto nos acabamentos arquitetônicos como janelas, alpendres e objetos de uso como tocheiros. O grau de destaque da família era muitos refletido pelo  número, elaboração e dimensão de balaústres empregados na residência.

207 Itens encontrados

Página: