Lote 114
Carregando...

Tipo:
Mobiliário

A partir desse momento apregoaremos importante coleção de móveis modernistas das décadas de 50 e 60. Os móveis apresentados nessa sessão do leilão tem sua autenticidade garantida. São objeto de mais de duas décadas de garimpagem, criteriosa catalogação e estudo aprofundado. Foram para o titular da coleção ao longo desses anos um hobby e porque não dizer uma obsessão. Por isso mostra-se a oportunidade valiosa para adquirir peças de mobiliário dos maiores designers do Brasil de meados do sec. XX. Hoje famosos e cobiçados em todo mundo, quer pela beleza e ousadia do designer ou pela variedade, qualidade e riqueza da madeira da flora brasileira. Iniciaremos com o lote que segue: OSCAR NIEMMEYER & ANNA MARIA NIEMEYER MARQUESA BENCH ICÔNICO BANCO DO TIPO MARQUESA PROJETADA POR OSCAR NIEMEYER E SUA FILHA ANNA MARIA NIEMEYER. CONSTRUÍDO EM MADEIRA DOBRADA EBANIZADA E ASSENTO EM PALHA TRANÇADA. POSSUI SELO HOLOGRÁFICO DA FUNDAÇÃO ANNA MARIA E OSCAR NIEMEYER COM NÚMERO DE ID ARQUITETÔNICO REGISTRADO: MQ01098. PEÇA MAGNÍFICA E TAMBÉM A MAIS COBIÇADA DENTRE A PRODUÇÃO DE MOBILIÁRIO DE OSCAR NIEMEYER. DIMENSÕES: 253 X 55 X 83NOTA: Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho nasceu em 15 de dezembro de 1907 no Rio de Janeiro. Estudou no Colégio Santo Antônio Maria Zaccaria. Em 1928, com 21 anos, casou-se com Annita Baldo e com ela teve uma filha. No ano seguinte, iniciou seus estudos na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (atual UFRJ). Concluiu o curso de Arquitetura em 1934 e logo foi trabalhar com um dos mais renomados arquitetos brasileiros: Lúcio Costa (1902-1998). Ali conhece o arquiteto e urbanista suíço Le Corbusier (1887-1965). Em 1968 foi convidado por Lúcio Costa para participar de Feira Mundial de Nova York, nos Estados Unidos. Em 1945 Oscar se integra ao Partido Comunista Brasileiro (PCB). Após dois anos, retorna à Nova York uma vez que foi indicado para participar do desenvolvimento do projeto da sede da ONU. Em 1949 Oscar foi agraciado com o título de Membro Honorário da Academia Americana de Artes e Ciências. Em 1954 viajou para a Europa com o intuito de participar de um projeto de reconstrução da cidade de Berlim, na Alemanha. No mesmo ano, trabalhou na Venezuela no projeto do Museu de Arte Moderna de Caracas. Além disso ele ficou encarregado do projeto arquitetônico do Parque Ibirapuera, em São Paulo. Um de seus projetos mais conhecidos no parque é o Auditório Ibirapuera, concebido pelo arquiteto em 1950 e inaugurado em 2005. O equipamento cultural possui 7 mil m2 de área construída e 4.870 m2 de área projetada. Curioso notar que até 2014 era chamado somente de Auditório Ibirapuera. No entanto, para homenagear o arquiteto, o prefeito da cidade, Fernando Haddad, sancionou a Lei n. 16.046, alterando o nome da construção para: Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer. No Rio de Janeiro, Oscar fundou a Revista Módulo em 1955, que anos mais tarde foi banida pelo governo militar. No final dos anos 50, Niemeyer foi convidado pelo presidente Juscelino Kubitschek a participar da construção da capital do Brasil: Brasília. Por conta disso, ele foi nomeado Diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura da Novacap. Após a construção de Brasília em 1960, trabalhou como coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília (UNB) de 1962 a 1965. Em 1963 foi agraciado pelo "Prêmio Lênin da Paz", na URSS. No mesmo ano, foi nomeado membro honorário do American Institute of Architects (Instituto Americano de Arquitetos) nos Estados Unidos. Após o golpe militar de 1964, viajou para Paris com o intuito de participar da exposição intitulada Oscar Niemeyer, larchitecte de Brasília, no Louvre. Na capital francesa ele abriu um escritório nos Champs Elysées em 1972 e ali trabalhou cerca de 20 anos. Durante esse tempo, fez projetos e exposições na França, Itália, Argélia, etc. Em 1988 recebeu o "Prêmio Pritzker de Arquitetura", em Chicago, nos Estados Unidos. No ano seguinte recebeu o "Prêmio Príncipe de Astúrias", na categoria Artes, da Fundação Principado de Astúrias, Espanha. Nesse mesmo ano, Oscar foi nomeado membro honorário do Real Instituto dos Arquitetos Britânicos, na Inglaterra. Em 1996 recebeu o "Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza", por ocasião da VI Mostra Internacional de Arquitetura. Em 2001, Niemeyer foi agraciado com o título de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil. Em 2004, sua mulher Annita Baldo faleceu. Em 2005 recebeu o título de "Patrono da Arquitetura Brasileira", concedido pela Câmara dos Deputados de Brasília.No ano seguinte, com 98 anos casa-se novamente com Vera Lúcia G. Niemeyer. Em 2012, falece sua única filha: Anna Maria Niemeyer. No mesmo ano, Oscar Niemeyer morreu em 5 de dezembro de 2012, com 104 anos. Nas palavras do arquiteto: Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.

Peça

Visitas: 542

Tipo: Mobiliário

A partir desse momento apregoaremos importante coleção de móveis modernistas das décadas de 50 e 60. Os móveis apresentados nessa sessão do leilão tem sua autenticidade garantida. São objeto de mais de duas décadas de garimpagem, criteriosa catalogação e estudo aprofundado. Foram para o titular da coleção ao longo desses anos um hobby e porque não dizer uma obsessão. Por isso mostra-se a oportunidade valiosa para adquirir peças de mobiliário dos maiores designers do Brasil de meados do sec. XX. Hoje famosos e cobiçados em todo mundo, quer pela beleza e ousadia do designer ou pela variedade, qualidade e riqueza da madeira da flora brasileira. Iniciaremos com o lote que segue: OSCAR NIEMMEYER & ANNA MARIA NIEMEYER MARQUESA BENCH ICÔNICO BANCO DO TIPO MARQUESA PROJETADA POR OSCAR NIEMEYER E SUA FILHA ANNA MARIA NIEMEYER. CONSTRUÍDO EM MADEIRA DOBRADA EBANIZADA E ASSENTO EM PALHA TRANÇADA. POSSUI SELO HOLOGRÁFICO DA FUNDAÇÃO ANNA MARIA E OSCAR NIEMEYER COM NÚMERO DE ID ARQUITETÔNICO REGISTRADO: MQ01098. PEÇA MAGNÍFICA E TAMBÉM A MAIS COBIÇADA DENTRE A PRODUÇÃO DE MOBILIÁRIO DE OSCAR NIEMEYER. DIMENSÕES: 253 X 55 X 83NOTA: Oscar Ribeiro de Almeida Niemeyer Soares Filho nasceu em 15 de dezembro de 1907 no Rio de Janeiro. Estudou no Colégio Santo Antônio Maria Zaccaria. Em 1928, com 21 anos, casou-se com Annita Baldo e com ela teve uma filha. No ano seguinte, iniciou seus estudos na Escola Nacional de Belas Artes do Rio de Janeiro (atual UFRJ). Concluiu o curso de Arquitetura em 1934 e logo foi trabalhar com um dos mais renomados arquitetos brasileiros: Lúcio Costa (1902-1998). Ali conhece o arquiteto e urbanista suíço Le Corbusier (1887-1965). Em 1968 foi convidado por Lúcio Costa para participar de Feira Mundial de Nova York, nos Estados Unidos. Em 1945 Oscar se integra ao Partido Comunista Brasileiro (PCB). Após dois anos, retorna à Nova York uma vez que foi indicado para participar do desenvolvimento do projeto da sede da ONU. Em 1949 Oscar foi agraciado com o título de Membro Honorário da Academia Americana de Artes e Ciências. Em 1954 viajou para a Europa com o intuito de participar de um projeto de reconstrução da cidade de Berlim, na Alemanha. No mesmo ano, trabalhou na Venezuela no projeto do Museu de Arte Moderna de Caracas. Além disso ele ficou encarregado do projeto arquitetônico do Parque Ibirapuera, em São Paulo. Um de seus projetos mais conhecidos no parque é o Auditório Ibirapuera, concebido pelo arquiteto em 1950 e inaugurado em 2005. O equipamento cultural possui 7 mil m2 de área construída e 4.870 m2 de área projetada. Curioso notar que até 2014 era chamado somente de Auditório Ibirapuera. No entanto, para homenagear o arquiteto, o prefeito da cidade, Fernando Haddad, sancionou a Lei n. 16.046, alterando o nome da construção para: Auditório Ibirapuera Oscar Niemeyer. No Rio de Janeiro, Oscar fundou a Revista Módulo em 1955, que anos mais tarde foi banida pelo governo militar. No final dos anos 50, Niemeyer foi convidado pelo presidente Juscelino Kubitschek a participar da construção da capital do Brasil: Brasília. Por conta disso, ele foi nomeado Diretor do Departamento de Urbanismo e Arquitetura da Novacap. Após a construção de Brasília em 1960, trabalhou como coordenador da Escola de Arquitetura da Universidade de Brasília (UNB) de 1962 a 1965. Em 1963 foi agraciado pelo "Prêmio Lênin da Paz", na URSS. No mesmo ano, foi nomeado membro honorário do American Institute of Architects (Instituto Americano de Arquitetos) nos Estados Unidos. Após o golpe militar de 1964, viajou para Paris com o intuito de participar da exposição intitulada Oscar Niemeyer, larchitecte de Brasília, no Louvre. Na capital francesa ele abriu um escritório nos Champs Elysées em 1972 e ali trabalhou cerca de 20 anos. Durante esse tempo, fez projetos e exposições na França, Itália, Argélia, etc. Em 1988 recebeu o "Prêmio Pritzker de Arquitetura", em Chicago, nos Estados Unidos. No ano seguinte recebeu o "Prêmio Príncipe de Astúrias", na categoria Artes, da Fundação Principado de Astúrias, Espanha. Nesse mesmo ano, Oscar foi nomeado membro honorário do Real Instituto dos Arquitetos Britânicos, na Inglaterra. Em 1996 recebeu o "Prêmio Leão de Ouro da Bienal de Veneza", por ocasião da VI Mostra Internacional de Arquitetura. Em 2001, Niemeyer foi agraciado com o título de Arquiteto do Século XX, do Conselho Superior do Instituto de Arquitetos do Brasil. Em 2004, sua mulher Annita Baldo faleceu. Em 2005 recebeu o título de "Patrono da Arquitetura Brasileira", concedido pela Câmara dos Deputados de Brasília.No ano seguinte, com 98 anos casa-se novamente com Vera Lúcia G. Niemeyer. Em 2012, falece sua única filha: Anna Maria Niemeyer. No mesmo ano, Oscar Niemeyer morreu em 5 de dezembro de 2012, com 104 anos. Nas palavras do arquiteto: Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.

Informações

Lance

    • 0 lance(s)

    • R$ 38,000.00

    • R$ ,00

Termos e Condições
Condições de Pagamento
Frete e Envio
  • TERMOS E CONDIÇÕES

    1ª. As peças que compõem o presente LEILÃO, foram cuidadosamente examinadas pelos organizadores que, solidários com os proprietários das mesmas, se responsabilizam por suas descrições.

    2ª. Em caso eventual de engano na autenticidade de peças, comprovado por peritos idôneos, e mediante laudo assinado, ficará desfeita a venda, desde que a reclamação seja feita em até 5 dias após o término do leilão. Findo o prazo, não será mais admitidas quaisquer reclamação, considerando-se definitiva a venda.

    3ª. As peças estrangeiras serão sempre vendidas como Atribuídas.

    4ª. O Leiloeiro não é proprietário dos lotes, mas o faz em nome de terceiros, que são responsáveis pela licitude e desembaraço dos mesmos.

    5ª. Elaborou-se com esmero o catálogo, cujos lotes se acham descritos de modo objetivo. As peças serão vendidas NO ESTADO em que foram recebidas e expostas. Descrição de estado ou vícios decorrentes do uso será descrito dentro do possível, mas sem obrigação. Pelo que se solicita aos interessados ou seus peritos, prévio e detalhado exame até o dia do pregão. Depois da venda realizada não serão aceitas reclamações quanto ao estado das mesmas nem servirá de alegação para descumprir compromisso firmado.

    6ª. Os leilões obedecem rigorosamente à ordem do catalogo.

    7ª. Ofertas por escrito podem ser feitas antes dos leilões, ou autorizar a lançar em seu nome; o que será feito por funcionário autorizado.

    8ª. Os Organizadores colocarão a título de CORTESIA, de forma gratuita e confidencial, serviço de arrematação pelo telefone e Internet, sem que isto o obrigue legalmente perante falhas de terceiros.

    8.1. LANCES PELA INTERNET: O arrematante poderá efetuar lances automáticos, de tal maneira que, se outro arrematante cobrir sua oferta, o sistema automaticamente gerará um novo lance para aquele arrematante, acrescido do incremento mínimo, até o limite máximo estabelecido pelo arrematante. Os lances automáticos ficarão registrados no sistema com a data em que forem feitos. Os lances ofertados são IRREVOGÁVEIS e IRRETRATÁVEIS. O arrematante é responsável por todos os lances feitos em seu nome, pelo que os lances não podem ser anulados e/ou cancelados em nenhuma hipótese.

    8.2. Em caso de empate entre arrematantes que efetivaram lances no mesmo lote e de mesmo valor, prevalecerá vencedor aquele que lançou primeiro (data e hora do registro do lance no site), devendo ser considerado inclusive que o lance automático fica registrado na data em que foi feito. Para desempate, o lance automático prevalecerá sobre o lance manual.

    9ª. O Organizador se reserva o direito de não aceitar lances de licitante com obrigações pendentes.

    10ª. Adquiridas as peças e assinado pelo arrematante o compromisso de compra, NÃO MAIS SERÃO ADMITIDAS DESISTÊNCIAS sob qualquer alegação.

    11ª. O arremate será sempre em moeda nacional. A progressão dos lances, nunca inferior a 5% do anterior, e sempre em múltiplo de dez. Outro procedimento será sempre por licença do Leiloeiro; o que não cria novação.

    12ª. Em caso de litígio prevalece a palavra do Leiloeiro.

    13ª. As peças adquiridas deverão ser pagas e retiradas IMPRETERIVELMENTE em até 48 horas após o término do leilão, e serão acrescidas da comissão do Leiloeiro, (5%). Não sendo obedecido o prazo previsto, o Leiloeiro poderá dar por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrar sua comissão e a dos organizadores.

    14ª. As despesas com as remessas dos lotes adquiridos, caso estes não possam ser retirados, serão de inteira responsabilidade dos arrematantes. O cálculo de frete, serviços de embalagem e despacho das mercadorias deverão ser considerados como Cortesia e serão efetuados pelas Galerias e/ou Organizadores mediante prévia indicação da empresa responsável pelo transporte e respectivo pagamento dos custos de envio.

    15ª. Qualquer litígio referente ao presente leilão está subordinado à legislação brasileira e a jurisdição dos tribunais da cidade de Campinas - SP. Os casos omissos regem-se pela legislação pertinente, e em especial pelo Decreto 21.981, de 19 de outubro de 1932, Capítulo III, Arts. 19 a 43, com as alterações introduzidas pelo Decreto 22.427., de 1º. de fevereiro de 1933.

  • CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

    A vista com acréscimo da taxa do leiloeiro de 5%.
    Através de depósito ou transferência bancária em conta a ser enviada por e-mail após o último dia do leilão.
    Não aceitamos cartões de crédito ou débito.
    O pagamento deverá ser efetuado até 72 horas após o término do leilão sob risco da venda ser desfeita.

  • FRETE E ENVIO

    As despesas com retirada e remessa dos lotes, são de responsabilidade dos arrematantes. Veja nas Condições de Venda do Leilão.
    Despachamos para todos os estados. A titulo de cortesia a casa poderá embrulhar as peças arrematadas e providenciar transportadora adequada