Lote 53A
Carregando...

Tipo:
Brasil Império

PRINCESA ISABEL - RECOLHIMENTO DOS HUMILDES DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO BAHIA GRANDE E FAUSTOSA IMAGEM DE MENINO JESUS DO MONTE EM MADEIRA COM ADEREÇOS EM OURO MACIÇO DE ALTO TEOR, ESMERALDAS, DIAMANTES E RUBIS. PLACA DE OFERICIMENTO EM PRATA COM VERMEIL A SUA ALTEZA IMPERIAL A PRINCESA ISABEL. PROFUSA APLICAÇÃO DE ELEMENTOS DECORATIVOS EM MADEIRA (CORDEIROS) E CONCHAS. NA PARTE INFERIOR DO MONTE GRUTA (LAPA) COM REPRESENTAÇÃO DE ESPELHO DAGUA EM VIDRO E CARNEIRO. OUTRA LAPA NA LATERAL TAMBÉM CONTENDO CARNEIRO. NO ALTO FIGURA DE MENINO JESUS DE PÉ COM CAJADO EM OURO MACIÇO, COROA EM PRATA DE LEI E LINDO CORAÇÃO EM OURO CRAVEJADO COM RUBIS, ESMERALDAS E DIAMANTES . LUXUOSA PRODUÇÃO DAS FREIRAS DO RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO. A BASE CONTÉM PLACA DE DEDICAÇÃO ESCRITA EM INGLES DE FRANK J. SMITH EXPORTADOR DA INGLATERRA DE ARMAS DO EXERCITO IMPERIAL. DIZ A INSCRIÇÃO: TO HER HIGHNESS ISABEL PRINCESA IMPERIAL DO BRASIL TO HER HUMBLE SERVANT FRANK J. SMITH BIRMINGHAM (A SUA ALTEZA ISABEL, PRINCESA IMPERIAL DO BRASIL DE SEU HUMILDE SERVO FRANK J. SMITH BIRMINGHAM. ACOMPANHA GRANDE CUPULA EM VIDRO COM BASE EM MADEIRA. SEC. XIX. 42 CM DE ALTURA (SEM CONSIDERAR O TAMANHO DA CUPULA, COM ELA 62 CM DE ALTURA.NOTA: Das tradições religiosas brasileiras uma das mais ingênuas e das mais alegres é a devoção ao Menino do Monte. Essa tradição tem como origem no Brasil a cidade de Salvador onde mãos hábeis das freiras do Recolhimento dos Humildes de Nossa Senhora da Purificação tornaram-se célebres pela arte com que decoravam as esculturas dessa devoção. Frutos da devoção e sensibilidade popular essas imagens eram voltadas sobretudo ao culto privado nas residências baianas, geralmente passaram a ser legados de família. Esculpidos em madeira os Meninos do Monte do Recolhimento dos Humildes de Nossa Senhora da Purificação seguem o mesmo modelo indo português que lembra uma montanha tendo ao centro uma gruta com espelhos dagua e animais. Difere apenas por não existir, no monte dos Humildes, a figura de Madalena no interior da gruta que, no caso da imagem baiana representa o local do nascimento de cristo. A gruta aparece em representações da igreja oriental do nascimento de cristo, pois era comum na palestina utilizar espaços como estabulo. As esculturas em si eram encomendadas a artesãos regionais Em especial destacava-se o escultor Ivo José de Araújo considerado um especialista em imagens de Cristo e do Deus Menino. Levado aos requintes de luxo e bom gosto, a ornamentação exuberante dos Meninos Jesus no Recolhimento dos Humildes foi ganhando destaque a partir da habilidade manual das reclusas, tornando-se cada vez mais desejados nas casas da aristocracia. Dependendo do encomendante os Meninos eram decorados com jóias fazendo parte da ornamentação além de correntes, coroas e outras peças de valor. Para decoração do monte, eram acrescentados uma infinidade de objetos imitando a fauna e flora. Sua decoração enfim dependia também do poder aquisitivo do encomendante. Assim foram ganhando lugar junto aos oratórios das residencias baianas. O fausto e a riqueza significavam em igual proporção a intensidade devocional. A cenografica rica servia por esse modo para despertar a piedade e fervor. Alguns desses complexos elementos decorativos eram retirados da natureza como as conchas marinhas. Ouro e prata eram indispensáveis. Cada peça era dotada de uma originalidade especial porque a decoração era totalmente artesanal. A função das conchas era a de criar jogos cromaticos variando do branco ao nacarado. Os cordeiros empregados em profusão apontavam para a própria figura de Cristo. A grande quantidade de animais representava a harmonia da natureza.

Peça

Visitas: 130

PRINCESA ISABEL - RECOLHIMENTO DOS HUMILDES DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO BAHIA GRANDE E FAUSTOSA IMAGEM DE MENINO JESUS DO MONTE EM MADEIRA COM ADEREÇOS EM OURO MACIÇO DE ALTO TEOR, ESMERALDAS, DIAMANTES E RUBIS. PLACA DE OFERICIMENTO EM PRATA COM VERMEIL A SUA ALTEZA IMPERIAL A PRINCESA ISABEL. PROFUSA APLICAÇÃO DE ELEMENTOS DECORATIVOS EM MADEIRA (CORDEIROS) E CONCHAS. NA PARTE INFERIOR DO MONTE GRUTA (LAPA) COM REPRESENTAÇÃO DE ESPELHO DAGUA EM VIDRO E CARNEIRO. OUTRA LAPA NA LATERAL TAMBÉM CONTENDO CARNEIRO. NO ALTO FIGURA DE MENINO JESUS DE PÉ COM CAJADO EM OURO MACIÇO, COROA EM PRATA DE LEI E LINDO CORAÇÃO EM OURO CRAVEJADO COM RUBIS, ESMERALDAS E DIAMANTES . LUXUOSA PRODUÇÃO DAS FREIRAS DO RECOLHIMENTO DE NOSSA SENHORA DA PURIFICAÇÃO. A BASE CONTÉM PLACA DE DEDICAÇÃO ESCRITA EM INGLES DE FRANK J. SMITH EXPORTADOR DA INGLATERRA DE ARMAS DO EXERCITO IMPERIAL. DIZ A INSCRIÇÃO: TO HER HIGHNESS ISABEL PRINCESA IMPERIAL DO BRASIL TO HER HUMBLE SERVANT FRANK J. SMITH BIRMINGHAM (A SUA ALTEZA ISABEL, PRINCESA IMPERIAL DO BRASIL DE SEU HUMILDE SERVO FRANK J. SMITH BIRMINGHAM. ACOMPANHA GRANDE CUPULA EM VIDRO COM BASE EM MADEIRA. SEC. XIX. 42 CM DE ALTURA (SEM CONSIDERAR O TAMANHO DA CUPULA, COM ELA 62 CM DE ALTURA.NOTA: Das tradições religiosas brasileiras uma das mais ingênuas e das mais alegres é a devoção ao Menino do Monte. Essa tradição tem como origem no Brasil a cidade de Salvador onde mãos hábeis das freiras do Recolhimento dos Humildes de Nossa Senhora da Purificação tornaram-se célebres pela arte com que decoravam as esculturas dessa devoção. Frutos da devoção e sensibilidade popular essas imagens eram voltadas sobretudo ao culto privado nas residências baianas, geralmente passaram a ser legados de família. Esculpidos em madeira os Meninos do Monte do Recolhimento dos Humildes de Nossa Senhora da Purificação seguem o mesmo modelo indo português que lembra uma montanha tendo ao centro uma gruta com espelhos dagua e animais. Difere apenas por não existir, no monte dos Humildes, a figura de Madalena no interior da gruta que, no caso da imagem baiana representa o local do nascimento de cristo. A gruta aparece em representações da igreja oriental do nascimento de cristo, pois era comum na palestina utilizar espaços como estabulo. As esculturas em si eram encomendadas a artesãos regionais Em especial destacava-se o escultor Ivo José de Araújo considerado um especialista em imagens de Cristo e do Deus Menino. Levado aos requintes de luxo e bom gosto, a ornamentação exuberante dos Meninos Jesus no Recolhimento dos Humildes foi ganhando destaque a partir da habilidade manual das reclusas, tornando-se cada vez mais desejados nas casas da aristocracia. Dependendo do encomendante os Meninos eram decorados com jóias fazendo parte da ornamentação além de correntes, coroas e outras peças de valor. Para decoração do monte, eram acrescentados uma infinidade de objetos imitando a fauna e flora. Sua decoração enfim dependia também do poder aquisitivo do encomendante. Assim foram ganhando lugar junto aos oratórios das residencias baianas. O fausto e a riqueza significavam em igual proporção a intensidade devocional. A cenografica rica servia por esse modo para despertar a piedade e fervor. Alguns desses complexos elementos decorativos eram retirados da natureza como as conchas marinhas. Ouro e prata eram indispensáveis. Cada peça era dotada de uma originalidade especial porque a decoração era totalmente artesanal. A função das conchas era a de criar jogos cromaticos variando do branco ao nacarado. Os cordeiros empregados em profusão apontavam para a própria figura de Cristo. A grande quantidade de animais representava a harmonia da natureza.

Vídeo

Informações

Lance

    • 19 lance(s)

    • R$ 11,500.00

  • Lote Vendido
Termos e Condições
Condições de Pagamento
Frete e Envio
  • TERMOS E CONDIÇÕES

    1ª. As peças que compõem o presente LEILÃO, foram cuidadosamente examinadas pelos organizadores que, solidários com os proprietários das mesmas, se responsabilizam por suas descrições.

    2ª. Em caso eventual de engano na autenticidade de peças, comprovado por peritos idôneos, e mediante laudo assinado, ficará desfeita a venda, desde que a reclamação seja feita em até 5 dias após o término do leilão. Findo o prazo, não será mais admitidas quaisquer reclamação, considerando-se definitiva a venda.

    3ª. As peças estrangeiras serão sempre vendidas como Atribuídas.

    4ª. O Leiloeiro não é proprietário dos lotes, mas o faz em nome de terceiros, que são responsáveis pela licitude e desembaraço dos mesmos.

    5ª. Elaborou-se com esmero o catálogo, cujos lotes se acham descritos de modo objetivo. As peças serão vendidas NO ESTADO em que foram recebidas e expostas. Descrição de estado ou vícios decorrentes do uso será descrito dentro do possível, mas sem obrigação. Pelo que se solicita aos interessados ou seus peritos, prévio e detalhado exame até o dia do pregão. Depois da venda realizada não serão aceitas reclamações quanto ao estado das mesmas nem servirá de alegação para descumprir compromisso firmado.

    6ª. Os leilões obedecem rigorosamente à ordem do catalogo.

    7ª. Ofertas por escrito podem ser feitas antes dos leilões, ou autorizar a lançar em seu nome; o que será feito por funcionário autorizado.

    8ª. Os Organizadores colocarão a título de CORTESIA, de forma gratuita e confidencial, serviço de arrematação pelo telefone e Internet, sem que isto o obrigue legalmente perante falhas de terceiros.

    8.1. LANCES PELA INTERNET: O arrematante poderá efetuar lances automáticos, de tal maneira que, se outro arrematante cobrir sua oferta, o sistema automaticamente gerará um novo lance para aquele arrematante, acrescido do incremento mínimo, até o limite máximo estabelecido pelo arrematante. Os lances automáticos ficarão registrados no sistema com a data em que forem feitos. Os lances ofertados são IRREVOGÁVEIS e IRRETRATÁVEIS. O arrematante é responsável por todos os lances feitos em seu nome, pelo que os lances não podem ser anulados e/ou cancelados em nenhuma hipótese.

    8.2. Em caso de empate entre arrematantes que efetivaram lances no mesmo lote e de mesmo valor, prevalecerá vencedor aquele que lançou primeiro (data e hora do registro do lance no site), devendo ser considerado inclusive que o lance automático fica registrado na data em que foi feito. Para desempate, o lance automático prevalecerá sobre o lance manual.

    9ª. O Organizador se reserva o direito de não aceitar lances de licitante com obrigações pendentes.

    10ª. Adquiridas as peças e assinado pelo arrematante o compromisso de compra, NÃO MAIS SERÃO ADMITIDAS DESISTÊNCIAS sob qualquer alegação.

    11ª. O arremate será sempre em moeda nacional. A progressão dos lances, nunca inferior a 5% do anterior, e sempre em múltiplo de dez. Outro procedimento será sempre por licença do Leiloeiro; o que não cria novação.

    12ª. Em caso de litígio prevalece a palavra do Leiloeiro.

    13ª. As peças adquiridas deverão ser pagas e retiradas IMPRETERIVELMENTE em até 48 horas após o término do leilão, e serão acrescidas da comissão do Leiloeiro, (5%). Não sendo obedecido o prazo previsto, o Leiloeiro poderá dar por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrar sua comissão e a dos organizadores.

    14ª. As despesas com as remessas dos lotes adquiridos, caso estes não possam ser retirados, serão de inteira responsabilidade dos arrematantes. O cálculo de frete, serviços de embalagem e despacho das mercadorias deverão ser considerados como Cortesia e serão efetuados pelas Galerias e/ou Organizadores mediante prévia indicação da empresa responsável pelo transporte e respectivo pagamento dos custos de envio.

    15ª. Qualquer litígio referente ao presente leilão está subordinado à legislação brasileira e a jurisdição dos tribunais da cidade de Campinas - SP. Os casos omissos regem-se pela legislação pertinente, e em especial pelo Decreto 21.981, de 19 de outubro de 1932, Capítulo III, Arts. 19 a 43, com as alterações introduzidas pelo Decreto 22.427., de 1º. de fevereiro de 1933.

  • CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

    À vista, acrescido da taxa do leiloeiro de 5 %.

    Através de depósito ou transferência bancária em conta a ser informada através do e-mail de cobrança.

    Não aceitamos cartões de crédito.

    Para depósitos em cheque, as peças serão liberadas para retirada/envio somente após a compensação.

  • FRETE E ENVIO

    Enviamos através dos Correios para todo o Brasil.

    As despesas com retirada e remessa dos lotes, são de responsabilidade dos arrematantes.

    Em caso de envio por transportadoras, esta deverá ser providenciada pelo Arrematante.