Lote 4
Carregando...

Tipo:
Prata de Lei

PRATA DE LEI DO PERÍODO VITORIANO LINDO MUG DE BATISMO ( CHRISTENING MUG) EM PRATA DE LEI COM MARCAS PARA CIDADE DE LONDRES E LETRA DATA PARA O ANO DE 1858, PRATEIRO JOHN SAMUEL HUNT ESTABELECIDO EM 1844. ELEGANTE FEITIO COM FACETAS E ALARGAMENTO EM CORNETA NO TERÇO SUPERIOR. FLORES E RAMAGENS EM RELEVO. INTERIOR COM VERMEIL. ESSES MUGS MUITO COLECIONÁVEIS COMEÇARAM A FAZER PARTE DA ETIQUETA DOS BATIZADOS JÁ NO FINAL DO SEC. XVIII NO PERÍODO GEORGIANO MAS FOI NA ERA VITORIANA QUE ATINGIRAM SEU APOGEU NOS COSTUMES INGLESES. 12 CM DE ALTURA. 210 GNOTA: OS PRESENTES DE BATISMO: têm sido dados durante séculos como parte da cerimônia cristã para dar as boas-vindas a uma criança no cristianismo. Os presentes não são dados apenas pelos pais para comemorar a cerimônia, mas também por outros membros da família, muitas vezes incluindo os padrinhos. Acredita-se que os presentes de batizado de prata sejam mais comumente empregados porque a prata é tradicionalmente considerada benéfica para a saúde e está imbuída de propriedades curativas. Além disso, a prata era associada à riqueza e prosperidade devido ao seu valor e aparência. Os presentes de batizado de prata, portanto, significam o desejo do presenteador por saúde e sucesso para a criança. Normalmente, os presentes de batizado são gravados com as iniciais do destinatário do presente. Os presentes de batizado mais raros e simples são mais difíceis de conseguir, mas têm um preço mais alto do que seus homólogos com monograma. Tipos de presentes de batismo: Existem muitos tipos de presentes de batizado que se tornaram escolhas tradicionais ao longo dos séculos XIX e XX. Colheres de prata antigas tornaram-se um dos presentes dados com mais frequência, com a colher sendo um símbolo não só da saúde e do crescimento do bebê durante a infância, mas também de seu crescimento ao longo da vida. Na segunda metade do período vitoriano, os conjuntos de batismo tornaram-se mais elaborados. Argolas de guardanapo, suportes para ovo, canecas, tigelas e muito mais. As canecas de batismo de prata, a escolha mais popular, são oferecidas desde o final do século XVIII. Eles simbolizam a nutrição que ajudará o bebê a crescer para ser saudável e forte. As canecas de batismo de prata, em particular, são frequentemente gravadas com as iniciais da criança, um monograma ou mesmo um brasão de família, às vezes incluindo a data de nascimento de uma criança ou cerimônia de batismo. Os anéis de guardanapo de prata também são uma escolha popular de presente de batizado. Conjuntos de argolas de guardanapo são freqüentemente dados aos pais quando o novo filho entra na família, para significar outro lugar sendo colocado na mesa de jantar da família. Com o advento da fotografia, as molduras prateadas também se tornaram uma escolha popular. Um retrato do bebê a ser batizado em uma moldura de prata antiga de alta qualidade é uma maneira memorável de mostrar este mais importante dos eventos familiares. A ETIQUETA DA CERIMONIA DE BATISMO NO PERÍODO VITORIANO: Após a divulgação da chegada da criança - em anúncios nos jornais - esperava-se que amigos e conhecidos enviassem mensagens à família em questão indagando sobre a saúde da criança e da mãe. Eles deveriam continuar fazendo essas pesquisas solícitas duas ou três vezes por semana, por cerca de uma ou duas semanas. Durante esse período, não se esperava que a mãe recebesse visitas. Quando ela estivesse pronta, ela enviaria cartões de agradecimento e só então os visitantes poderiam chegar até a família. Claro, alguns amigos íntimos da mãe podem ter sido autorizados a visitar nas semanas seguintes. No entanto, The Handbook of Etiquette de 1860 enfatizou que, se esses amigos íntimos não tivessem permissão para visitá-los, eles não deveriam se sentir menosprezados. A alcova era deliberadamente mantida o mais silenciosa possível. Na verdade, a jovem inglesa de Beeton - escrita na década seguinte - declarou que ninguém poderia esperar ver a mãe até que ela mandasse seus cartões de agradecimento. Isso deveria ser interpretado como um anúncio de que a mãe estava pronta para retornar à Sociedade. Quando chegava o momento da visita a prática de distribuir bolo e caudle era um costume. Caudle foi descrito no Handbook of Official and Social Etiquette and Public Ceremonials como uma bebida feita de "um mingau de aveia condimentado e com vinho". Era bebido em uma xícara caudle especial em prata de lei com duas alças. No entanto, beber caudle e comer bolo podem talvez ser vistos como celebrações preliminares. A cerimonia do batismo em si era bem mais elaborada. A primeira questão a considerar é - naturalmente - a seleção dos padrinhos. De acordo com os costumes e regras da boa sociedade , os padrinhos geralmente eram escolhidos entre os amigos íntimos da mãe da criança. Como regra geral, um menino teria dois padrinhos e uma madrinha. Da mesma forma, uma menina teria duas madrinhas e um padrinho. Uma data também teve que ser definida para o batismo. De acordo com o periódico a jovem inglesa de Beeton , o batismo normalmente era consertado assim que a mãe era considerada suficientemente recuperada para poder sair. A criança teria geralmente cerca de um mês nessa altura. Da mesma forma, Manners and Rules of Good Society considerava que um batizado era geralmente realizado seis semanas após o nascimento da criança. Era de bom tom que os convites fossem geralmente entre uma semana e dez dias de antecedência. Normalmente, apenas parentes próximos dos pais seriam convidados. Em seguida, os presentes obviamente teriam que se vestir adequadamente. 0 bebê no centro de tudo não poderia ter assumido a responsabilidade de seguir a etiqueta adequada. No entanto, isso não isenta os pais da responsabilidade de agir em seu nome. Seria bastante comum que a criança se vestisse com uma herança de família transmitida às gerações anteriores. Para começar, a roupa era composta por um manto, gorro, capuz e manto. O manto era feito de cetim ou seda com um manto feito de musselina bordada. Alternativamente, o manto poderia ser feita de cetim ou seda com uma renda sobre o manto. A capa também poderia ser feita de cetim ou seda, com fitas combinando para prendê-la e com enfeites de renda. O capuz era feito para combinar com a capa. O ideal seria que o gorro fosse feito de renda. Também o gorro era rematado com 'cockades ou rosetas, à esquerda ou à direita, conforme fosse a criança menina ou menino'. Vide um exemplo de roupa de batismo de 1886, nos créditos extras desse lote. Os presentes que padrinhos deveriam ofertar eram um capítulo a parte: Canecas (mugs como esse apregoado no lote), xícaras, argolas de guardanapo e colheres de ouro ou prata eram presentes sugeridos pela etiqueta Etiqueta: O que fazer e como fazer. Aqui, bíblias, livros de orações, joias e dinheiro também foram apresentados como outras ofertas adequadas. Em relação à etiqueta do serviço - ou seja, quem segurou o bebê e quando - algumas orientações diferentes podem ser vistas. Por exemplo, o Manual de Etiqueta dizia na década de 1860 que, quando na fonte (pia de batismo), a criança era segurada pela babá. No momento apropriado, o padrinho então dizia ao clérigo o nome da criança. Na década seguinte, a jovem inglesa de Beeton disse que erai a madrinha quem deveria segurar a criança perto da fonte para a primeira parte da cerimônia de batismo. Quando necessário, ela teria então colocado a criança no braço esquerdo do clérigo. Porém, após esta parte da cerimônia, o clérigo teria entregado a criança à ama. Novamente, era papel do padrinho dar o nome da criança. Sob essa orientação, apenas aqueles diretamente envolvidos nesta parte do serviço - o clérigo, os padrinhos, a criança e a babá iam à pia batismal. Todos os outros, incluindo os pais da criança, permaneceriam em seus bancos. Na década de 1880, Etiqueta: o que fazer e como fazer determinava que cabia à madrinha-chefe passar a criança ao clérigo no momento apropriado. Essa distinção foi determinada tanto pela posição quanto pelo parentesco. Onde nenhuma das madrinhas fosse parente, a senhora de posição superior teria segurado a criança. No entanto, se uma das madrinhas fosse um parente, ela teria segurado a criança independentemente das respectivas classes sociais das madrinhas. Depois de batizada a criança, o clérigo a devolveria à madrinha, que por sua vez a devolveria à babá.

Peça

Visitas: 64

Tipo: Prata de Lei

PRATA DE LEI DO PERÍODO VITORIANO LINDO MUG DE BATISMO ( CHRISTENING MUG) EM PRATA DE LEI COM MARCAS PARA CIDADE DE LONDRES E LETRA DATA PARA O ANO DE 1858, PRATEIRO JOHN SAMUEL HUNT ESTABELECIDO EM 1844. ELEGANTE FEITIO COM FACETAS E ALARGAMENTO EM CORNETA NO TERÇO SUPERIOR. FLORES E RAMAGENS EM RELEVO. INTERIOR COM VERMEIL. ESSES MUGS MUITO COLECIONÁVEIS COMEÇARAM A FAZER PARTE DA ETIQUETA DOS BATIZADOS JÁ NO FINAL DO SEC. XVIII NO PERÍODO GEORGIANO MAS FOI NA ERA VITORIANA QUE ATINGIRAM SEU APOGEU NOS COSTUMES INGLESES. 12 CM DE ALTURA. 210 GNOTA: OS PRESENTES DE BATISMO: têm sido dados durante séculos como parte da cerimônia cristã para dar as boas-vindas a uma criança no cristianismo. Os presentes não são dados apenas pelos pais para comemorar a cerimônia, mas também por outros membros da família, muitas vezes incluindo os padrinhos. Acredita-se que os presentes de batizado de prata sejam mais comumente empregados porque a prata é tradicionalmente considerada benéfica para a saúde e está imbuída de propriedades curativas. Além disso, a prata era associada à riqueza e prosperidade devido ao seu valor e aparência. Os presentes de batizado de prata, portanto, significam o desejo do presenteador por saúde e sucesso para a criança. Normalmente, os presentes de batizado são gravados com as iniciais do destinatário do presente. Os presentes de batizado mais raros e simples são mais difíceis de conseguir, mas têm um preço mais alto do que seus homólogos com monograma. Tipos de presentes de batismo: Existem muitos tipos de presentes de batizado que se tornaram escolhas tradicionais ao longo dos séculos XIX e XX. Colheres de prata antigas tornaram-se um dos presentes dados com mais frequência, com a colher sendo um símbolo não só da saúde e do crescimento do bebê durante a infância, mas também de seu crescimento ao longo da vida. Na segunda metade do período vitoriano, os conjuntos de batismo tornaram-se mais elaborados. Argolas de guardanapo, suportes para ovo, canecas, tigelas e muito mais. As canecas de batismo de prata, a escolha mais popular, são oferecidas desde o final do século XVIII. Eles simbolizam a nutrição que ajudará o bebê a crescer para ser saudável e forte. As canecas de batismo de prata, em particular, são frequentemente gravadas com as iniciais da criança, um monograma ou mesmo um brasão de família, às vezes incluindo a data de nascimento de uma criança ou cerimônia de batismo. Os anéis de guardanapo de prata também são uma escolha popular de presente de batizado. Conjuntos de argolas de guardanapo são freqüentemente dados aos pais quando o novo filho entra na família, para significar outro lugar sendo colocado na mesa de jantar da família. Com o advento da fotografia, as molduras prateadas também se tornaram uma escolha popular. Um retrato do bebê a ser batizado em uma moldura de prata antiga de alta qualidade é uma maneira memorável de mostrar este mais importante dos eventos familiares. A ETIQUETA DA CERIMONIA DE BATISMO NO PERÍODO VITORIANO: Após a divulgação da chegada da criança - em anúncios nos jornais - esperava-se que amigos e conhecidos enviassem mensagens à família em questão indagando sobre a saúde da criança e da mãe. Eles deveriam continuar fazendo essas pesquisas solícitas duas ou três vezes por semana, por cerca de uma ou duas semanas. Durante esse período, não se esperava que a mãe recebesse visitas. Quando ela estivesse pronta, ela enviaria cartões de agradecimento e só então os visitantes poderiam chegar até a família. Claro, alguns amigos íntimos da mãe podem ter sido autorizados a visitar nas semanas seguintes. No entanto, The Handbook of Etiquette de 1860 enfatizou que, se esses amigos íntimos não tivessem permissão para visitá-los, eles não deveriam se sentir menosprezados. A alcova era deliberadamente mantida o mais silenciosa possível. Na verdade, a jovem inglesa de Beeton - escrita na década seguinte - declarou que ninguém poderia esperar ver a mãe até que ela mandasse seus cartões de agradecimento. Isso deveria ser interpretado como um anúncio de que a mãe estava pronta para retornar à Sociedade. Quando chegava o momento da visita a prática de distribuir bolo e caudle era um costume. Caudle foi descrito no Handbook of Official and Social Etiquette and Public Ceremonials como uma bebida feita de "um mingau de aveia condimentado e com vinho". Era bebido em uma xícara caudle especial em prata de lei com duas alças. No entanto, beber caudle e comer bolo podem talvez ser vistos como celebrações preliminares. A cerimonia do batismo em si era bem mais elaborada. A primeira questão a considerar é - naturalmente - a seleção dos padrinhos. De acordo com os costumes e regras da boa sociedade , os padrinhos geralmente eram escolhidos entre os amigos íntimos da mãe da criança. Como regra geral, um menino teria dois padrinhos e uma madrinha. Da mesma forma, uma menina teria duas madrinhas e um padrinho. Uma data também teve que ser definida para o batismo. De acordo com o periódico a jovem inglesa de Beeton , o batismo normalmente era consertado assim que a mãe era considerada suficientemente recuperada para poder sair. A criança teria geralmente cerca de um mês nessa altura. Da mesma forma, Manners and Rules of Good Society considerava que um batizado era geralmente realizado seis semanas após o nascimento da criança. Era de bom tom que os convites fossem geralmente entre uma semana e dez dias de antecedência. Normalmente, apenas parentes próximos dos pais seriam convidados. Em seguida, os presentes obviamente teriam que se vestir adequadamente. 0 bebê no centro de tudo não poderia ter assumido a responsabilidade de seguir a etiqueta adequada. No entanto, isso não isenta os pais da responsabilidade de agir em seu nome. Seria bastante comum que a criança se vestisse com uma herança de família transmitida às gerações anteriores. Para começar, a roupa era composta por um manto, gorro, capuz e manto. O manto era feito de cetim ou seda com um manto feito de musselina bordada. Alternativamente, o manto poderia ser feita de cetim ou seda com uma renda sobre o manto. A capa também poderia ser feita de cetim ou seda, com fitas combinando para prendê-la e com enfeites de renda. O capuz era feito para combinar com a capa. O ideal seria que o gorro fosse feito de renda. Também o gorro era rematado com 'cockades ou rosetas, à esquerda ou à direita, conforme fosse a criança menina ou menino'. Vide um exemplo de roupa de batismo de 1886, nos créditos extras desse lote. Os presentes que padrinhos deveriam ofertar eram um capítulo a parte: Canecas (mugs como esse apregoado no lote), xícaras, argolas de guardanapo e colheres de ouro ou prata eram presentes sugeridos pela etiqueta Etiqueta: O que fazer e como fazer. Aqui, bíblias, livros de orações, joias e dinheiro também foram apresentados como outras ofertas adequadas. Em relação à etiqueta do serviço - ou seja, quem segurou o bebê e quando - algumas orientações diferentes podem ser vistas. Por exemplo, o Manual de Etiqueta dizia na década de 1860 que, quando na fonte (pia de batismo), a criança era segurada pela babá. No momento apropriado, o padrinho então dizia ao clérigo o nome da criança. Na década seguinte, a jovem inglesa de Beeton disse que erai a madrinha quem deveria segurar a criança perto da fonte para a primeira parte da cerimônia de batismo. Quando necessário, ela teria então colocado a criança no braço esquerdo do clérigo. Porém, após esta parte da cerimônia, o clérigo teria entregado a criança à ama. Novamente, era papel do padrinho dar o nome da criança. Sob essa orientação, apenas aqueles diretamente envolvidos nesta parte do serviço - o clérigo, os padrinhos, a criança e a babá iam à pia batismal. Todos os outros, incluindo os pais da criança, permaneceriam em seus bancos. Na década de 1880, Etiqueta: o que fazer e como fazer determinava que cabia à madrinha-chefe passar a criança ao clérigo no momento apropriado. Essa distinção foi determinada tanto pela posição quanto pelo parentesco. Onde nenhuma das madrinhas fosse parente, a senhora de posição superior teria segurado a criança. No entanto, se uma das madrinhas fosse um parente, ela teria segurado a criança independentemente das respectivas classes sociais das madrinhas. Depois de batizada a criança, o clérigo a devolveria à madrinha, que por sua vez a devolveria à babá.

Informações

Lance

    • 1 lance(s)

    • R$ 1,200.00

  • Lote Vendido
Termos e Condições
Condições de Pagamento
Frete e Envio
  • TERMOS E CONDIÇÕES

    1ª. As peças que compõem o presente LEILÃO, foram cuidadosamente examinadas pelos organizadores que, solidários com os proprietários das mesmas, se responsabilizam por suas descrições.

    2ª. Em caso eventual de engano na autenticidade de peças, comprovado por peritos idôneos, e mediante laudo assinado, ficará desfeita a venda, desde que a reclamação seja feita em até 5 dias após o término do leilão. Findo o prazo, não será mais admitidas quaisquer reclamação, considerando-se definitiva a venda.

    3ª. As peças estrangeiras serão sempre vendidas como Atribuídas.

    4ª. O Leiloeiro não é proprietário dos lotes, mas o faz em nome de terceiros, que são responsáveis pela licitude e desembaraço dos mesmos.

    5ª. Elaborou-se com esmero o catálogo, cujos lotes se acham descritos de modo objetivo. As peças serão vendidas NO ESTADO em que foram recebidas e expostas. Descrição de estado ou vícios decorrentes do uso será descrito dentro do possível, mas sem obrigação. Pelo que se solicita aos interessados ou seus peritos, prévio e detalhado exame até o dia do pregão. Depois da venda realizada não serão aceitas reclamações quanto ao estado das mesmas nem servirá de alegação para descumprir compromisso firmado.

    6ª. Os leilões obedecem rigorosamente à ordem do catalogo.

    7ª. Ofertas por escrito podem ser feitas antes dos leilões, ou autorizar a lançar em seu nome; o que será feito por funcionário autorizado.

    8ª. Os Organizadores colocarão a título de CORTESIA, de forma gratuita e confidencial, serviço de arrematação pelo telefone e Internet, sem que isto o obrigue legalmente perante falhas de terceiros.

    8.1. LANCES PELA INTERNET: O arrematante poderá efetuar lances automáticos, de tal maneira que, se outro arrematante cobrir sua oferta, o sistema automaticamente gerará um novo lance para aquele arrematante, acrescido do incremento mínimo, até o limite máximo estabelecido pelo arrematante. Os lances automáticos ficarão registrados no sistema com a data em que forem feitos. Os lances ofertados são IRREVOGÁVEIS e IRRETRATÁVEIS. O arrematante é responsável por todos os lances feitos em seu nome, pelo que os lances não podem ser anulados e/ou cancelados em nenhuma hipótese.

    8.2. Em caso de empate entre arrematantes que efetivaram lances no mesmo lote e de mesmo valor, prevalecerá vencedor aquele que lançou primeiro (data e hora do registro do lance no site), devendo ser considerado inclusive que o lance automático fica registrado na data em que foi feito. Para desempate, o lance automático prevalecerá sobre o lance manual.

    9ª. O Organizador se reserva o direito de não aceitar lances de licitante com obrigações pendentes.

    10ª. Adquiridas as peças e assinado pelo arrematante o compromisso de compra, NÃO MAIS SERÃO ADMITIDAS DESISTÊNCIAS sob qualquer alegação.

    11ª. O arremate será sempre em moeda nacional. A progressão dos lances, nunca inferior a 5% do anterior, e sempre em múltiplo de dez. Outro procedimento será sempre por licença do Leiloeiro; o que não cria novação.

    12ª. Em caso de litígio prevalece a palavra do Leiloeiro.

    13ª. As peças adquiridas deverão ser pagas e retiradas IMPRETERIVELMENTE em até 48 horas após o término do leilão, e serão acrescidas da comissão do Leiloeiro, (5%). Não sendo obedecido o prazo previsto, o Leiloeiro poderá dar por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrar sua comissão e a dos organizadores.

    14ª. As despesas com as remessas dos lotes adquiridos, caso estes não possam ser retirados, serão de inteira responsabilidade dos arrematantes. O cálculo de frete, serviços de embalagem e despacho das mercadorias deverão ser considerados como Cortesia e serão efetuados pelas Galerias e/ou Organizadores mediante prévia indicação da empresa responsável pelo transporte e respectivo pagamento dos custos de envio.

    15ª. Qualquer litígio referente ao presente leilão está subordinado à legislação brasileira e a jurisdição dos tribunais da cidade de Campinas - SP. Os casos omissos regem-se pela legislação pertinente, e em especial pelo Decreto 21.981, de 19 de outubro de 1932, Capítulo III, Arts. 19 a 43, com as alterações introduzidas pelo Decreto 22.427., de 1º. de fevereiro de 1933.

  • CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

    À vista, acrescido da taxa do leiloeiro de 5 %.

    Através de depósito ou transferência bancária em conta a ser informada através do e-mail de cobrança.

    Não aceitamos cartões de crédito.

    Para depósitos em cheque, as peças serão liberadas para retirada/envio somente após a compensação.

  • FRETE E ENVIO

    Enviamos através dos Correios para todo o Brasil.

    As despesas com retirada e remessa dos lotes, são de responsabilidade dos arrematantes.

    Em caso de envio por transportadoras, esta deverá ser providenciada pelo Arrematante.