Peças para o próximo leilão

438 Itens encontrados

Página:

  • COMPANHIA DAS INDIAS DECORAÇÃO VISTA PEQUENA  REINADO JIAQING (1796-1820)    EX COLEÇÃO DR. ALCIDES DA COSTA VIDIGAL  LINDA TRAVESSA EM PORCELANA DE COMPANHIA DAS INDIAS COM BORDA CONTENDO FILETE ROUGE DE FER REALÇADO EM OURO. SUCEDENDO O FILETE LINDA DECORAÇÃO COM GUIRLANDA FORMANDO PARRAS E CACHOS DE UVAS E GAVINHAS EM OURO. NA CALDEIRA RESERVA COM VISTA PEQUENA COM ASPECTO DE UM PALÁCIO, UMA PONTE, UM POVOADO E AO FUNDO CADEIA DE MONTANHAS. A RESERVA TEM MOLDURA FORMADA POR PEROLADOS E GUIRLANDAS FOLIARES ENTRELAÇADOS EM ELIPSE. A BASE TEM A DESEJÁVEL FINALIZAÇÃO UNGLAZED (SEM COBERTURA DO  ESMALTE) QUE MOSTRA A PASTA RUGOSA DA PORCELANA COM A COR NATURAL DA ARGILA CHINA, FINAL DO SEC. XVIII. 30,5 CM DE COMPRIMENTO.
  • COMPANHIA DAS INDIAS REINADO QIANLONG (1735 -1796) EX COLEÇÃO DR. DR ALCIDES DA COSTA VIDIGAL  LINDA TRAVESSA EM PORCELANA COMPANHIA DAS INDIAS COM EXUBERANTE DECORAÇÃO EM ESMALTES DA FAMÍLIA ROSA. BORDA COM FRISO EM CORAL DECORADO POR DELICADA GUIRLANDA EM OURO. FUNDO COM DECORAÇÃO RENDILHADA EM ROXO COM RESERVAS EM CORAL CONTENDO ELEMENTOS LACUSTRES E VEGETALISTAS. A CALDEIRA TEM GRANDE RESERVA COM CENA DE FIGURA DE NOBRE SENTADO SENDO SERVIDO POR DOIS ATENDENTES. UM DELES DEPOSITOU UMA TRAVESSA COM FRUTOS SOBRE A MESA E O OUTRO TRÁS UMA XÍCARA DE CHÁ. AO FUNDO CENA LACUSTRE E CASAS EM, MEIO A MONTES E VEGETAÇÃO. ARREMATES EM OURO. A BASE TEM A DESEJÁVEL FINALIZAÇÃO UNGLAZED (SEM COBERTURA DO  ESMALTE) QUE MOSTRA A PASTA RUGOSA DA PORCELANA COM A COR NATURAL DA ARGILA (TÍPICA DA BOA PRODUÇÃO DO PERÍODO QIANLONG). EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO! CHINA, MEADOS DO SEC. XVIII. 36,5 CM DE COMPRIMENTO
  • COMPANHIA DAS INDAS REINADO QIANLONG (1735 -1796) EX COLEÇÃO DR. DR ALCIDES DA COSTA VIDIGAL  LINDA TRAVESSA EM PORCELANA COMPANHIA DAS INDIAS COM EXUBERANTE DECORAÇÃO EM ESMALTES DA FAMÍLIA ROSA. BORDA COM FRISO EM CORAL DECORADO POR DELICADA GUIRLANDA EM OURO. A BORDA TEM AINDA RESERVAS COM FLORES EM ESMALTES ROSA, VERDE, AMARELOS E ROSE, MARIPOSAS EM AZUL E QUATRO RESERVAS DESTACADAS COM FLORES DELINEADAS EM CORAL COM PREENCHIMENTO EM OURO. CALDEIRA TEM RESERVA EMOLDURADA EM AZUL E CORAL, CONTENDO CENA LACUSTRE COM BARCOS, PAGODES, CASAS, ÁRVORES, FLORES E PERSONAGEM. , A BASE TEM A DESEJÁVEL FINALIZAÇÃO UNGLAZED (SEM COBERTURA DO  ESMALTE) QUE MOSTRA A PASTA RUGOSA DA PORCELANA COM A COR NATURAL DA ARGILA (TÍPICA DA BOA PRODUÇÃO DO PERÍODO QIANLONG). EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO! CHINA, MEADOS DO SEC. XVIII. 33 CM DE COMPRIMENTO
  • A partir desse momento apregoaremos parte da coleção em porcelana que foi originalmente pertencente ao DR ALCIDES DA COSTA VIDIGAL. Tratam-se de peças de excepcional qualidade, algumas foram de serviços reais de Dom João VI e de Dona Carlota Joaquina. Também peças do período KANGXI E QIANLONG. Iniciaremos com o lote que segue: COMPANHIA DAS INDIAS  FAMILIA ROSA  REINADO QIANLONG (1735 -1796)  LINDA TRAVESSA EM PORCELANA DA COMPANHIA DAS INDIAS DECORADA COM ESMALTES DA FAMÍLIA ROSA. FEITIO FACETADO, TEM BORDA  FILETADA EM OURO SUCEDIDADA POR DELICADA GUIRLANDA EM CORAL DELIMITADA POR FRISOS EM GRIZZEILE. AINDA NA BORDA ARRANJOS FLORAIS E RAMAGENS.  A CALDEIRA APRESENTA TAMBÉM GUIRLANDA EM CORAL QUE EMOLDURA GRANDE RESERVA CONTENDO FLORES E RAMAGENS. NO FUNDO DA TRAVESSA, A BASE TEM A DESEJÁVEL FINALIZAÇÃO UNGLAZED (SEM COBERTURA DO  ESMALTE) QUE MOSTRA A PASTA RUGOSA DA PORCELANA COM A COR NATURAL DA ARGILA (TÍPICA DA BOA PRODUÇÃO DO PERÍODO QIANLONG). CHINA, SEGUNDA METADE DO SEC. XVIII. 31,9 CM DE COMPRIMENTONOTA: Alcides da Costa Vidigal nasceu na cidade de São Paulo no dia 1º de agosto de 1895, filho de Afrodísio Vidigal e de Luísa Benvinda da Costa Vidigal. Seu irmão, Gastão Vidigal, foi deputado classista representando os empregadores do comércio de 1935 a 1937 e ministro da Fazenda em 1946.Realizou os primeiros estudos no Grupo Escolar Prudente de Morais e no Ginásio São Bento, entre 1906 e 1911, diplomando-se em 1916 pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Durante sua vida universitária foi primeiro-secretário do Centro Acadêmico XI de Agosto e membro da primeira biblioteca circular da sua faculdade. Foi inspetor federal do Ginásio de Campinas de 1916 a 1920, curador das vítimas de acidentes do trabalho entre 1920 e 1924 e procurador de banco de 1927 a 1931. Participou da Revolução Constitucionalista de 1932, irrompida em São Paulo, tendo sido secretário da comissão executiva da Campanha do Ouro, organizada para financiar as ações dos rebeldes paulistas. Diretor do Banco de São Paulo de 1934 a 1937, em 1936 tornou-se consultor jurídico da Bolsa de Valores do estado e em 1941 foi nomeado diretor da Caixa Econômica Federal em São Paulo, cargo que exerceria até 1945. De 1943 a 1945 integrou também o conselho administrativo e em 1949 foi nomeado presidente da Caixa Econômica Federal de São Paulo. Nas eleições de outubro e 1950 elegeu-se suplente de deputado federal por São Paulo na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Em 1953 passou a presidir o Instituto dos Advogados de São Paulo e a integrar o Tribunal de Ética da Ordem dos Advogados. De junho a novembro de 1954 ocupou uma cadeira na Câmara dos Deputados. Em abril de 1955 foi nomeado presidente do Banco do Brasil, sucedendo a Clemente Mariani, que se exonerara do cargo no dia 5 de abril, por discordar dos termos do chamado Acordo Jânio Quadros-Café Filho. Segundo esse acordo, Jânio Quadros, então governador de São Paulo (1955-1958), deveria desistir de sua candidatura à presidência da República em favor da de Juarez Távora, apoiada pelo presidente Café Filho (1954-1955). Em troca, os paulistas teriam sua presença assegurada em dois ministérios e na presidência do Banco do Brasil. Alcides Vidigal deixou o cargo em outubro do mesmo ano. Foi superintendente da Companhia Brasileira de Material Ferroviário e da sucursal de São Paulo da Companhia de Seguros Minas Brasil, diretor da sociedade Construtora de Imóveis, diretor-presidente da construtora de imóveis Casa Bancária, vice-presidente da Companhia Industrial São Paulo-Rio e presidente da Fábrica de Tecidos Labor, da Companhia Vidigal Prado Comissária Exportadora de  Café e da Vidigal Aranha Comissionária Exportadora (também de café). Casou-se em primeiras núpcias com Tercília Camargo Vidigal, e em segundas núpcias com Maria da Costa Carvalho Vidigal. Teve 13 filhos. Publicou Legislação social (1925) e Acidentes do trabalho (1935).
  • LINDO DESK CLOCK EM PRATA DE LEI E OURO ESTILO E ÉPOCA ART DECO. CAIX COM LINDOS GUILLOCHES MOSTRADOR ESMALTADO COM ALGARISMOS ARÁBICOS. MECANISMO A CORDA. CAIXA EM PRATA INGLESA CONTRASTADA E NUMERADA 1075. CORDA PARA OITO DIAS. FUNCIONA PERFEITAMENTE. INICIO DO SEC. XX. 12 CM DE ALTURA
  • NATAN  DESK CLOCK EM BRONZE ORMOLU COM CALENDÁRIO PARA O DIA DO MÊS, DA SEMANA E MÊS DO ANO, TAMBÉM FASE DA LUA. DIAL PRATEADO COM NUMERAIS ROMANOS. MOVIMENTO QUARTZ. LINDA EXEMPLAR DE ALTA RELOJOARIA. SUIÇA, SEC. XX. 13 CM DE DIAMETRO
  • CARTIER  MODELO BAIGNOIRE  REQUINTADO DESK CLOCK DA MANFATURA CARTIER EM METAL ESPESSURADO A OURO E BRONZE. DOTADO DE DESPERTADOR . BOTÕES COM CABOCHONS DE SAFIRA. MOVIMENTO QUARTZ. NUMERADO 890812548. NUMERAIS ROMANOS EM DIAL BRANCO. FRANÇA, SEC. XX. 9 CM DE ALTURA.
  • SEVRES  MOET ET CHANDON À EPERNAY CHAMPAGNE DON PERIGNON VINTAGE. GRANDE E MAGNIFICO MEDALHÃO EM PORCELANA DA MANUFATURA DE SEVRES DECORADO COM PARRAS DE UVA E CACHOS EM OURO A TODA VOLTA. RESERVA COM ESCUDO DA MOET ET CHANDON.MARCAS DA MANUFATURA SOB A BASE. PEÇA MAGNIFICA, DE GRANDE DIMENSÃO E EM ÓTIMO ESTADO DE CONSERVAÇÃO! FRANÇA, INICIO DO SEC. XX. 48,5  CM DE DIAMETRO.NOTA: O que dizer sob o CHAMPAGNE que não possamos extrair da exuberante efervecência que nos reporta ao refinamento e a celebração ? A Möet et Cie surgiu em 1743 e virou Möet et Chandon em 1833. Em mais de 200 anos, tornou-se uma marca poderosa de luxo. eanne Antoinette Poisson, a Madame de Pompadour (1721-1764), entrou para a história como a poderosa e influente maîtresse-en-titre, a amante chefe do rei Luís 15. Era uma influenciadora para valer, "real oficial," que gerava moda por onde passava. Ajudou a divulgar o rococó, patrocinou escultores e pintores e mantinha a própria prensa em constante movimento, imprimindo livros para sua biblioteca pessoal. No século 18, ela elevou o hábito de tomar champanhe na corte francesa de Luís 15 ao delírio. Não foi uma moda que surgiu do nada. Luís 14, o antecessor de seu amante, só queria saber de vinho borbulhante da Champagne, e os ingleses, que eram fãs da bebida, tomavam muito, graças às mudanças providenciais que eles mesmos introduziram. Seus fornos a carvão produziam garrafas mais resistentes do que os fornos franceses, alimentados com madeira. Eles também resgataram o uso romano de rolhas - no tempo de Pérignon, usavam-se trapos encharcados de óleo para selar as garrafas. Além disso, um cientista inglês, Christopher Merret, foi o primeiro a documentar o acréscimo de açúcar para formar bolhas no vinho, em 1662. Sim, antes de Dom Pérignon. Mas foi a relação de Pompadour com um comerciante da Champagne que selou a entrada da bebida nas altas rodas francesas e, consequentemente, a sua associação a festas e sofisticação. Isso sem contar o pequeno detalhe que a família de Pompadour tinha lucrativas terras na Champagne. Graças a ela, esse empresário, chamado Claude Möet, fez com que seu vinho fluísse cada vez mais em Versalhes. A mística da pomposa e refinada Pompadour segue lado a lado à do frugal beneditino Pérignon. Barbe-Nicole Clicquot tornou-se uma das primeiras mulheres da história a comandar uma empresa de alcance internacional. Conseguiu isso graças também a boas doses de marketing malandro. Mesmo nos anos conturbados das Guerras Napoleônicas, ela driblava leis, portos fechados e estradas bloqueadas e dava um jeito de chegar a mercados de outros países da Europa, especialmente a Rússia, inimiga da França na época. No fim da guerra, com a iminente derrota francesa, os russos ocuparam a região da Champagne, em 1814. Como podemos imaginar, beberam muito champanhe, inclusive o da viúva, cuja marca já era conhecida na Rússia. Clicquot disse: "hoje eles bebem, amanhã eles pagarão". Sob esse ponto de vista, a pilhagem acabou virando fiado. A Rússia se tornou o segundo maior mercado de champanhe do mundo até a Revolução de 1917, segundo Don e Petie Kladstrup em "Champagne: How the World's Most Glamorous Wine Triumphed Over War and Hard Times" ("Champanhe: como o vinho mais glamouroso do mundo triunfou sobre guerra e tempos difíceis", sem edição brasileira)
  • CRISTAL DE ROCHA  FORMIDÁVEL PAR DE OBELISCOS EM CRISTAL DE ROCHA DE EXCEPCIONAL QUALIDADE E EM EXCELENTE ESTADO DE CONSERVAÇÃO! FEITIO FACETADO. SEM BICADOS OU OUTROS DEFEITOS. FINALIZAÇÃO EM PIRAMIDES. INICIO DO SEC. XX. 29 CM DE ALTURA
  • RUSSIA IMPERIAL  BELO PODSTAKANNIK EM PRATA DE LEI. COM MARCAS DE CONTRASTE 84 ZOLOTNISKY E SEGUNDO KOKOSCHNIK ESTABELECIDO PELO CZAR NICOLAU II. DECORADO COM CINZELADOS FORMANDO GUERREIRO COSSACO MONTADO EM CAVALO COM ARCO E FLECHA, LANÇA E CAPACETE, REPRESENTADO CAVALGANDO EM ESTRADA EM MEIO A PAISAGEM COM VEGETAÇÃO E CIDADE COM RIO AO FUNDO. BORDA COM LAURÉU RELEVADO. PEÇA DE COLEÇÃO! RÚSSIA IMPERIAL, INICIO DO SEC. XX. 8 CM DE ALTURANOTA: Os ourives russos criaram peças que não foram encontradas em nenhum outro lugar do mundo. Os russos, ao contrário de outros europeus que bebem chá em xícaras com alça, costumam beber a infusão em copos. Obviamente, isso cria um problema de calor. O podstakannik ou suporte para copo de chá é um recipiente usado para segurar o copo evitando que o chá quente escalde a mão. É um recipiente cilíndrico com uma alça na lateral com formato adequado para segurar o copo de chá. No final do século XIX, os Podstakanniks de prata eram amplamente utilizados pelos russos de classe alta para mostrar sua prosperidade usando vasos de prata na vida cotidiana: Podstakannik era um desses vasos. O podstakannik seguiu a tendência de estilos em uso no final do século XIX e o Art Nouveau e o podstakannik russo antigo foram amplamente produzidos. A demanda de itens de prata desapareceu com o início da Revolução Russa.
  • DELICADA SALVA EM PRATA DE LEI ESTILO DONA MARIA . BORDA COM PEROLADOS, ASSENTE SOBRE TRÊS PÉS ALTOS. BRASIL, SEC. XIX. 15,5 CM DE DIAMETRO
  • PRATA INGLESA EDUARDIANA  EPERGNE EM PRATA DE LEI COM MARCAS PARA CIDADE DE LONDRES, LETRA DATA 1922. ELEGANTE ESTILO EDUARDIANO COM BORDA RETICULADA FORMANDO ELEMENTOS VEGETALISTAS. FEITIO FACETADO, FUSTE EM BALAUSTRE E BASE CIRCULAR. INGLATERRA, INICIO DO SEC. XX. 18 CM DE DIAMETRO. 395 G
  • SALVA CIRCULAR EM PRATA DE LEI DO PRATEIRO UNIÃO CONSTRASTE 800. GALERIA FENESTRADA, PLANO COM ROCAILLE, ASSENTE SOBRE TRES PÉS EM GARRAS. BRASIL, SEC. XX. 20 CM DE DIAMETRO. 355 G
  • SALVA CIRCULAR EM PRATA DE LEI COM MARCAS DE CONTRASTE 833. GALERIA VAZADA COM PARRAS E CACHOS DE UVA. PLANO DECORADO EM FENESTRAS. ASSENTE SOBRE TRÊS PÉS. BRASI, SEC. XX. 14,5 CM DE DIAMETRO. 205 G
  • SALVA RETANGULAR EM PRATA DE LEI COM  MARCAS DE CONTRASTE 833. GALERIA FENESTRADA DOTADA DE DUAS PEGAS LATERAIS. PLANO DECORADO COM GUILLOCHES. ASSENTE SOBRE QUATRO PÉS EM GARRA. BRASIL, SEC. XX. 23 CM DE COMPRIMENTO. 305 G.
  • PRATA INGLESA EDUARDIANA - SUPORTE PARA OVOS MOLLET COM TAÇAS PARA SERVIÇO. MARCAS DE CONTRASTE PARA CIDADE DE LONDRES, LETRA DATA 1902 E PRATEIRO CHARLES STUART HARRIS, ESTABELECIDO POR VOLTA DE 1852. ELEGANTE CONSTRUÇÃO COM DELICADA ESTRUTURA SUPORTADA POR QUATRO PÉS EM BOLA. INGLATERRA, 1902, 19 CM DE ALTURA
  • ACESSO O CATÁLOGO COMPLETO EM PDF NO ENDEREÇO: https://drive.google.com/file/d/13Aa5WRa6WSEMBYr6LKo7IVP6t0uiNhJ3/view?usp=sharing
  • EM 2016, QUANDO TINHA 87 ANOS DE IDADE, MARIA LUCIA WHITAKER VIDIGAL  LUCINHA VIDIGAL COMO ERA CONHECIDA -  FOI CONVIDADA  Â PALESTRAR NA TEDx SÃO PAULO. A TEDx (TECNOLOGIA, ENTRETENIMENTO E DESIGN)  É UMA  RESPEITADA INSTITUIÇÃO, QUE  PROMOVE EM TODO MUNDO, CONFERÊNCIAS COM PALESTRAS  INSPIRADORAS ABORDANDO, DENTRE OUTROS TEMAS, RELATOS DE SUPERAÇÃO, INOVAÇÃO, CRESCIMENTO, EXEMPLOS DE BEM VIVER E MOTIVAÇÃO PESSOAL. AS PALESTRAS PROFERIDAS NA TEDx INTEGRAM UMA BASE DE REGISTROS DISPONIBILIZADOS EM AMBIENTE WEB E FRANQUEADOS Â SOCIEDADE CIVIL. EM SUA PRELEÇÃO DIRIGIDA A UM AUDITÓRIO APINHADO DE CENTENAS DE PESSOAS, DONA LUCINHA VIDIGAL DEIXOU UMA MENSAGEM PRECIOSA APRENDIDA DE SEUS ANTEPASSADOS: A VIDA NÃO TEM RASCUNHO. E CERTAMENTE  ESSE FOI UM NORTE NA TRAJETÓRIA DA VIDA  EXITOSA E RICA EM EXPERIÊNCIAS DESSA GRANDE MULHER QUE TINHA TUDO PARA ACOMODAR-SE NA CONDIÇÃO DE DAMA DA SOCIEDADE PAULISTANA, MAS QUE  ALMEJOU TORNAR SUA EXISTÊNCIA MUITO MAIOR DO QUE SUA CONDIÇÃO A PREDESTINAVA. NASCIDA NO SEIO DE TRADIONAL FAMÍLIA, DONA LUCINHA VIDIGAL ERA  NETA DE JOSÉ MARIA WHITAKER, ADVOGADO,BANQUEIRO E ADMINISTRADOR PÚBLICO, UM PERSONAGEM RELEVANTE DA HISTÓRIA DO BRASIL. JOSÉ MARIA WHITAKER FOI POR DUAS VEZES MINISTRO DA FAZENDA: DE 1930 Â 1931 (DURANTE O GOVERNO DE GETÚLIO VARGAS) E EM 1955 NO GOVERNO CAFÉ FILHO. FOI TAMBÉM  PRESIDENTE DO BANCO DO BRASIL ENTRE  OS ANOS DE 1920 E 1922. SUA FAMÍLIA FUNDOU O BANCO COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO, QUE MAIS TARDE INCORPOROU-SE AO ITAÚ, HOJE ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A.  AO LADO DOS PAULISTAS CONSTITUCIONALISTAS, ESTEVE Â FRENTE DA COORDENAÇÃO DOS ESFORÇOS DE GUERRA DURANTE A REVOLUÇÃO DE 1932. DIRIGIU A CAMPANHA OURO POR SÃO PAULO PARA ARRECADAR FUNDOS DESTINADOS A MANTER A RESISTÊNCIA PAULISTA NOS FRONTS DE BATALHA. POR  ALGUM TEMPO, AINDA NO PERÍODO DA REVOLUÇÃO, FOI TAMBÉM GOVERNADOR DE SÃO PAULO. MARCELLO DE CAMARGO VIDIGAL, MARIDO DE DONA LUCINHA, ERA FILHO DE ALCIDES DA COSTA VIDIGAL E DE DONA THERCILIA CAMARGO VIDIGAL (ESTA DESCENDENTE DO ILUSTRE TRONCO CAMPINEIRO DOS TEIXEIRA DE CAMARGO). SEU PAI FOI DEPUTADO FEDERAL, PRESIDENTE DO INTITUTO DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO, PRESIDENTE DA CAIXA ECONOMICA FEDERAL, DO BANCO DO BRASIL E DIRETOR DOS BANCO DE SÃO PAULO E DO BANCO PAULISTANO.  ALCIDES VIDIGAL TAMBÉM ESTEVE A FRENTE DOS ESFORÇOS DE GUERRA EM PROL DOS PAULISTAS E DA CONSTIUIÇÃO NO EPISÓDIO DA REVOLUÇÃO DE 1932. NESSE MOVIMENTO INTEGROU A COMISSÃO EXECUTIVA DA CAMPANHA OURO PARA SÃO PAULO. ESSA SERIA A PRIMEIRA VEZ EM QUE O DESTINO REUNIU OS WHITAKER AOS VIDIGAL. A COMISSÃO REVOLUCIONÁRIA INTEGRADA POR ALCIDES VIDIGAL, ERA PRESIDIDA POR JOSÉ MARIA WHITAKER. QUASE DUAS DÉCADAS DEPOIS, AS DUAS FAMÍLIAS SERIAM DEFINITIVAMENTE REUNIDAS PELOS LAÇOS DE MATRIMÔNIO FIRMADOS ENTRE MARCELLO, FILHO DE ALCIDIS VIDIGAL E LUCINHA WHITAKERL, NETA DE JOSÉ MARIA WHITAKER. JÁ NA DÉCADA DE 50, ALCIDES VIDIGA,  FOI  TAMBÉM CONVIDADO A EXERCER O CARGO DE MINISTRO DAS FINANÇAS DO BRASIL, DECLINANDO DO CONVITE EM SOLIDARIEDADE AO ENTÃO  MINISTRO JOSÉ MARIA WHITAKER, AVÔ DE SUA JÁ A ESSA ALTURA NORA, DONA LUCINHA, QUE HAVIA RENUNCIADO A FUNÇÃO MOTIVANDO A VACÂNCIA DO CARGO. EM 1969  LUCINHA VIDIGAL COMEÇOU A TRABALHAR NA  ANTIGA TV TUPY (DEPOIS TV CULTURA) ONDE ESTEVE ATÉ 1981.  NESSA EMISSORA DESTACOU-SE NO COMANDO DE PROGRAMAS DE TELEVISÃO ATUANDO COMO PRODUTORA E APRESENTADORA.  CHEGOU A RECEBER O PRÊMIO DE MELHOR PROGRAMA DE TELEVISÃO DO ANO. A DESPEITO DE SUA CARREIRA BEM SUCEDIDA MAS LABORIOSA, LUCINHA VIDIGAL COMPROMETEU-SE PROFUNDAMENTE COM AS CAUSAS SOCIAIS AS QUAIS DEDICOU GRANDE PARTE DE SUA VIDA E DE SEU TEMPO.  RECÉM CASADA  FORMOU COM SUAS AMIGAS UM GRUPO DE SENHORAS PARA TRICOTAR ENXOVAIS DESTINADOS Â GESTANTES DE BAIXA RENDA. A ESSA ATIVIDADE DEDICOU-SE POR  65 ANOS ANOS. AINDA NO CONTEXTO DA FILANTROPIA, PRESIDIU POR 12 ANOS A LIGA DAS SENHORAS CATÓLICAS, FOI CONSELHEIRA DA FEBEM (FUNDAÇÃO PARA O BEM ESTAR DO MENOR) HOJE CONHECIDA COMO FUNDAÇÃO CASA E IDEALIZOU/IMPLANTOU O PROJETO BORBOLETA, DESENVOLVIDO JUNTO Â AACD (ASSOCIAÇÃO DE ASSISTÊNCIA A CRIANÇA DEFICIENTE). O PROJETO BORBOLETA É DEDICADO A PROMOÇÃO DE OFICINAS DE ARTESANATO OBJETIVANDO GERAÇÃO DE RENDA E ENTRETENIMENTO PARA AS MÃES DAS CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA. ALÉM DE SUA INTENSA ATIVIDADE FILANTRÓPICA, DONA LUCINHA VIDIGAL ERA UMA DESPORTISTA DEDICADA AO ESQUI AQUÁTICO FOI PRATICANTE DESSE ESPORTE  ATÉ OS 89 ANOS DE IDADE. SEU PARCEIRO NESSA LONGEVA PRÁTICA DESPORTIVA ERA  O ESPOSO MARCELLO VIDIGAL. ATÉ SEUS 90 ANOS,  ERA MARCELLO  QUEM PILOTAVA A LANCHA ENQUANTO DONA LUCINHA, EVOLUIA NOS ESQUIS.  A DISPOSIÇÃO DO CASAL ERA ADMIRÁVEL! O SR. MARCELLO VIDIGAL TEVE UMA VIDA REPLETA DE ÊXITO PROFISSIONAL!  ADVOGADO DE FORMAÇÃO, FOI LOGO SEDUZIDO PELA TRADIÇÃO FAMILIAR LIGADA AO MERCADO FINANCEIRO. TEVE PAPEL DE DESTAQUE NO BANCO MERCANTIL DO BRASIL, ONDE AJUDOU A IMPLANTAR A ÁREA DE LEASING E FOI PRESIDENTE DA SEGURADORA FINASA. O CASAL LUCINHA E MARCELLO, FORMOU UMA GRANDE E BELA FAMÍLIA, FORAM DEZ FILHOS (OITO HOMENS E DUAS MULHERES), 26 NETOS E 30 BISNETOS.  DONA LUCINHA, COSTUMAVA CONTAR QUE PERTENCIA A UMA FAMÍLIA NUMEROSA (SEU AVÔ TEVE 14 FILHOS)  E CONHECEU DESDE A INFÂNCIA AS BENECES DE SE VIVER ENTRE UMA GRANDE FAMÍLIA. INSPIRADA NA EXPERIÊNCIA DA CASA PATERNA, ESTABELECEU  COMO CONDIÇÃO PARA ACEITAR O PEDIDO DE CASAMENTO FORMULADO POR MARCELLO VIDIGAL, QUE ESTA UNIÃO LHES DESSE DEZ FILHOS.  A CONDIÇÃO FOI ACEITA PRONTAMENTE PELO FUTURO MARIDO. E FOI ASSIM, CERCADOS POR SEUS DESCENDENTES,  QUE O CASAL PARTILHOU SUA LONGA VIDA CONJUGAL (FORAM 67 ANOS JUNTOS). UMA VIDA QUE NÃO FOI RESULTADO DE UM ESBOÇO, DE UM RASCUNHO COMO DONA LUCINHA CEDO APRENDEU  PELO CONSELHOS DE SEUS AVÓS, MAS QUE FOI CONSTRUÍDA E PAVIMENTADA COM PRINCÍPIOS SÓLIDOS DE VALORES FAMILIARES, AMOR, UNIÃO E DEDICAÇÃO AO PRÓXIMO. ALÉM DA PERSONALIDADE IMPAR, DONA LUCINHA ERA RECONHECIDA POR SEU BOM GOSTO E REQUINTE. DECOROU COM ESMERO A BELA RESIDÊNCIA DO CASAL NO JARDIM EUROPA EM SÃO PAULO. REUNIU EM SEUS SALÕES ANTIGUIDADES E OBRAS DE ARTE PERFEITAMENTE HARMONIZADAS DE ACORDO COM SUA ORIENTAÇÃO. BOA PARTE DESSES QUADROS E OBJETOS FOI HERDADA DE SEU SOGRO, DR ALCIDES VIDIGAL, CONHECIDO COLECIONADOR DE OBRAS DE ARTE PRODUZIDAS POR GRANDES ARTISTAS ACADÊMICOS DO SEC. XIX, TAMBÉM COLECIONADOR DE PORCELANA COMPANHIA DAS INDIAS E DE PALITEIROS EM PRATA DE LEI. MAS O CASAL AMPLIOU O LEGADO, ADQUIRINDO MUITAS PEÇAS QUE INTEGRAM O ACERVO QUE EMBELEZA A RESIDÊNCIA.  POR MEIO SÉCULO A CASA NA RUA MARIA CAROLINA CONGREGOU IMPORTANTES PERSONALIDADES DA SOCIEDADE PAULISTANA, TAMBÉM DE REPRESENTANTES DO MEIO POLÍTICO E DO MERCADO FINANCEIRO, DA CULTURA E DA BENEMERÊNCIA. JÁ AS  SEGUNDAS FEIRAS ERAM, POR TRADIÇÃO, DESTINADAS AOS JANTARES FAMILIARES. NESSAS OCASIÕES DONA LUCINHA E O DR MARCELLO VIDIGAL  RECEBIAM  ALEGREMENTE SEUS FILHOS E NETOS. E FOI ASSIM QUE  A CASA DOS WHITAKER VIDIGAL FOI DESDE SEMPRE UMA CASA CHEIA E FELIZ!   A DARGENT LEILÕES ORGULHA-SE EM APRESENTAR O LEILÃO DA COLEÇÃO LUCIA WHITAKER VIDIGAL! TEMOS A CONSCIÊNCIA DE QUE ESTE NÃO É APENAS UM BELO E VASTO ACERVO, MAS SOBRETUDO SÃO ELEMENTOS DA PERSONALIDADE E HISTÓRIA DESSA GRANDE DAMA QUE SOUBE BRILHAR NA TELEVISÃO BRASILEIRA, NO MEIO CULTURAL E NA SOCIEDADE PAULISTANA. MAS  PRINCIPALMENTE TEMOS A CONVICÇÃO DE NOSSA RESPONSABILIDADE AO APRESENTAR ESSAS QUE SÃO LEMBRANÇAS DE UMA VIDA QUE TOCOU A EXISTÊNCIA DE TANTAS PESSOAS PARA AS QUAIS ESTENDEU SUAS GENEROSAS MÃOS E PARA QUEM SUAS AÇÕES FIZERAM TODA DIFERENÇA!  ASSISTA A INSPIRADORA PALESTRA DE DONA LUCINHA VIDIGAL EM: https://www.youtube.com/watch?v=m5tmlnfsVqI

438 Itens encontrados

Página: