Lote 50
Carregando...

Tipo:
Quadros

CLÓVIS GRACIANO SÃO JORGE E O DRAGÃO OST 1958 EXTRAORDINÁRIA E EMBLEMÁTICA OBRA DE CLÓVIS GRACIANO RICAMENTE EMOLDURADA. REPRESENTA A MÍTICA LUTA EM QUE SÃO JORGE DERROTOU O DRAGÃO. O TEMA DESSA TELA FOI INTENSAMENTE EXPLORADO POR CLÓVIS GRACIANO E SURGIU A PARTIR DE SUAS EXPLORAÇÕES AO MUSEU DO LOUVRE EM PARIS QUANDO EM SUA PRIMEIRA ESTADA NA EUROPA EM UM PERÍODO DE DOIS ANOS ENTRE 1948 E 1950 APÓS TER RECEBIDO O PRÊMIO DE VIAGEM AO EXTERIOR DO SALÃO NACIONAL DE BELAS ARTES. 81 X 65 CM (SEM CONSIDERAR O TAMANHO DA MOLDURA). COM A MOLDURA QUE ALIÁS, É BELISSIMA SENDO REMATADA EM FOLHAS DE PRATA E OURO (DESTACAMOS TAMBÉM A INTERESSANTE AMARRAÇÃO DO CHASSI) TEM 98 X 82 CMNOTA: O instante consagrador do trajeto artístico de Clóvis Graciano e que o elevou praticamente à categoria de unanimidade, foi quando ganhou o Prêmio de Viagem ao Exterior do Salão Nacional de Belas Artes, em 1948. Pôde assim passar uma temporada de dois anos na Europa, na companhia de sua mulher, Maria Aparecida, e de seus dois filhos. Em Paris aprofundou suas pesquisas no Museu do Louvre e pintou composições como o óleo São Jorge e o Dragão. Às vésperas da viagem, Graciano declarou ao jornal Folha da Noite: Creio que, no meu caso pessoal, já com mais de 40 anos de idade, estou apto para tirar o maior partido possível dessa viagem, por já ter superado a fase na qual o artista é por demais sensível às influências estranhas. Em Paris Graciano trocava intensa correspondência com seu amigo Jorge Amado. Da Polônia, Zélia Gattai, mulher do romancista baiano, escreveu para o pintor pedindo notícias da temporada francesa: E por aí, como vai o frio? Vocês têm suportado bem? E os meninos, já estão falando o francês? Nessa mesma carta, Zélia contou que, na Polônia, Jorge havia comprado um trenó para passear no gelo. Levamos tombos incríveis, mas não desistimos, informa Zélia. Biogragia: Clóvis Graciano (Araras, São Paulo, 1907 - São Paulo, São Paulo, 1988). Pintor, desenhista, cenógrafo, gravador, ilustrador. Reside em São Paulo a partir de 1934. Realiza estudos com o pintor Waldemar da Costa (1904-1982), entre 1935 e 1937. Em 1937, integra o Grupo Santa Helena, com Francisco Rebolo (1902 - 1980),Mario Zanini (1907-1971)e Bonadei (1906-1974). Freqüenta como aluno ouvinte o curso de desenho da Escola Paulista de Belas Artes, até 1938. Membro da Família Artística Paulista - FAP, em 1939 é eleito presidente do grupo. Participa regularmente dos Salões do Sindicato dos Artistas Plásticos e, em 1941, realiza sua primeira individual. Em 1948, é sócio-fundador do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Viaja para a Europa em 1949, com o prêmio recebido no Salão Nacional de Belas Artes. Permanece dois anos em Paris, onde estuda pintura mural e gravura. A partir dos anos 1950, dedica-se principalmente à pintura mural. Faz ilustrações de obras literárias, como o livro Cancioneiro da Bahia, de Dorival Caymmi (1914-2008), publicado pela editora Martins, em 1947, e o romance Terras do Sem Fim, deJorge Amado (1912-2001), pela editora Record, em 1987. Em 1971, assume o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo. De 1976 a 1978, exerce a função de adido cultural em Paris. Ao longo de sua carreira permanece fiel ao figurativismo, com o predomínio de temas sociais.

Peça

Visitas: 858

Tipo: Quadros

CLÓVIS GRACIANO SÃO JORGE E O DRAGÃO OST 1958 EXTRAORDINÁRIA E EMBLEMÁTICA OBRA DE CLÓVIS GRACIANO RICAMENTE EMOLDURADA. REPRESENTA A MÍTICA LUTA EM QUE SÃO JORGE DERROTOU O DRAGÃO. O TEMA DESSA TELA FOI INTENSAMENTE EXPLORADO POR CLÓVIS GRACIANO E SURGIU A PARTIR DE SUAS EXPLORAÇÕES AO MUSEU DO LOUVRE EM PARIS QUANDO EM SUA PRIMEIRA ESTADA NA EUROPA EM UM PERÍODO DE DOIS ANOS ENTRE 1948 E 1950 APÓS TER RECEBIDO O PRÊMIO DE VIAGEM AO EXTERIOR DO SALÃO NACIONAL DE BELAS ARTES. 81 X 65 CM (SEM CONSIDERAR O TAMANHO DA MOLDURA). COM A MOLDURA QUE ALIÁS, É BELISSIMA SENDO REMATADA EM FOLHAS DE PRATA E OURO (DESTACAMOS TAMBÉM A INTERESSANTE AMARRAÇÃO DO CHASSI) TEM 98 X 82 CMNOTA: O instante consagrador do trajeto artístico de Clóvis Graciano e que o elevou praticamente à categoria de unanimidade, foi quando ganhou o Prêmio de Viagem ao Exterior do Salão Nacional de Belas Artes, em 1948. Pôde assim passar uma temporada de dois anos na Europa, na companhia de sua mulher, Maria Aparecida, e de seus dois filhos. Em Paris aprofundou suas pesquisas no Museu do Louvre e pintou composições como o óleo São Jorge e o Dragão. Às vésperas da viagem, Graciano declarou ao jornal Folha da Noite: Creio que, no meu caso pessoal, já com mais de 40 anos de idade, estou apto para tirar o maior partido possível dessa viagem, por já ter superado a fase na qual o artista é por demais sensível às influências estranhas. Em Paris Graciano trocava intensa correspondência com seu amigo Jorge Amado. Da Polônia, Zélia Gattai, mulher do romancista baiano, escreveu para o pintor pedindo notícias da temporada francesa: E por aí, como vai o frio? Vocês têm suportado bem? E os meninos, já estão falando o francês? Nessa mesma carta, Zélia contou que, na Polônia, Jorge havia comprado um trenó para passear no gelo. Levamos tombos incríveis, mas não desistimos, informa Zélia. Biogragia: Clóvis Graciano (Araras, São Paulo, 1907 - São Paulo, São Paulo, 1988). Pintor, desenhista, cenógrafo, gravador, ilustrador. Reside em São Paulo a partir de 1934. Realiza estudos com o pintor Waldemar da Costa (1904-1982), entre 1935 e 1937. Em 1937, integra o Grupo Santa Helena, com Francisco Rebolo (1902 - 1980),Mario Zanini (1907-1971)e Bonadei (1906-1974). Freqüenta como aluno ouvinte o curso de desenho da Escola Paulista de Belas Artes, até 1938. Membro da Família Artística Paulista - FAP, em 1939 é eleito presidente do grupo. Participa regularmente dos Salões do Sindicato dos Artistas Plásticos e, em 1941, realiza sua primeira individual. Em 1948, é sócio-fundador do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM/SP). Viaja para a Europa em 1949, com o prêmio recebido no Salão Nacional de Belas Artes. Permanece dois anos em Paris, onde estuda pintura mural e gravura. A partir dos anos 1950, dedica-se principalmente à pintura mural. Faz ilustrações de obras literárias, como o livro Cancioneiro da Bahia, de Dorival Caymmi (1914-2008), publicado pela editora Martins, em 1947, e o romance Terras do Sem Fim, deJorge Amado (1912-2001), pela editora Record, em 1987. Em 1971, assume o cargo de diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo. De 1976 a 1978, exerce a função de adido cultural em Paris. Ao longo de sua carreira permanece fiel ao figurativismo, com o predomínio de temas sociais.

Informações

Lance

    • 6 lance(s)

    • R$ 15,000.00

  • Lote Vendido
Termos e Condições
Condições de Pagamento
Frete e Envio
  • TERMOS E CONDIÇÕES

    1ª. As peças que compõem o presente LEILÃO, foram cuidadosamente examinadas pelos organizadores que, solidários com os proprietários das mesmas, se responsabilizam por suas descrições.

    2ª. Em caso eventual de engano na autenticidade de peças, comprovado por peritos idôneos, e mediante laudo assinado, ficará desfeita a venda, desde que a reclamação seja feita em até 5 dias após o término do leilão. Findo o prazo, não será mais admitidas quaisquer reclamação, considerando-se definitiva a venda.

    3ª. As peças estrangeiras serão sempre vendidas como Atribuídas.

    4ª. O Leiloeiro não é proprietário dos lotes, mas o faz em nome de terceiros, que são responsáveis pela licitude e desembaraço dos mesmos.

    5ª. Elaborou-se com esmero o catálogo, cujos lotes se acham descritos de modo objetivo. As peças serão vendidas NO ESTADO em que foram recebidas e expostas. Descrição de estado ou vícios decorrentes do uso será descrito dentro do possível, mas sem obrigação. Pelo que se solicita aos interessados ou seus peritos, prévio e detalhado exame até o dia do pregão. Depois da venda realizada não serão aceitas reclamações quanto ao estado das mesmas nem servirá de alegação para descumprir compromisso firmado.

    6ª. Os leilões obedecem rigorosamente à ordem do catalogo.

    7ª. Ofertas por escrito podem ser feitas antes dos leilões, ou autorizar a lançar em seu nome; o que será feito por funcionário autorizado.

    8ª. Os Organizadores colocarão a título de CORTESIA, de forma gratuita e confidencial, serviço de arrematação pelo telefone e Internet, sem que isto o obrigue legalmente perante falhas de terceiros.

    8.1. LANCES PELA INTERNET: O arrematante poderá efetuar lances automáticos, de tal maneira que, se outro arrematante cobrir sua oferta, o sistema automaticamente gerará um novo lance para aquele arrematante, acrescido do incremento mínimo, até o limite máximo estabelecido pelo arrematante. Os lances automáticos ficarão registrados no sistema com a data em que forem feitos. Os lances ofertados são IRREVOGÁVEIS e IRRETRATÁVEIS. O arrematante é responsável por todos os lances feitos em seu nome, pelo que os lances não podem ser anulados e/ou cancelados em nenhuma hipótese.

    8.2. Em caso de empate entre arrematantes que efetivaram lances no mesmo lote e de mesmo valor, prevalecerá vencedor aquele que lançou primeiro (data e hora do registro do lance no site), devendo ser considerado inclusive que o lance automático fica registrado na data em que foi feito. Para desempate, o lance automático prevalecerá sobre o lance manual.

    9ª. O Organizador se reserva o direito de não aceitar lances de licitante com obrigações pendentes.

    10ª. Adquiridas as peças e assinado pelo arrematante o compromisso de compra, NÃO MAIS SERÃO ADMITIDAS DESISTÊNCIAS sob qualquer alegação.

    11ª. O arremate será sempre em moeda nacional. A progressão dos lances, nunca inferior a 5% do anterior, e sempre em múltiplo de dez. Outro procedimento será sempre por licença do Leiloeiro; o que não cria novação.

    12ª. Em caso de litígio prevalece a palavra do Leiloeiro.

    13ª. As peças adquiridas deverão ser pagas e retiradas IMPRETERIVELMENTE em até 48 horas após o término do leilão, e serão acrescidas da comissão do Leiloeiro, (5%). Não sendo obedecido o prazo previsto, o Leiloeiro poderá dar por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrar sua comissão e a dos organizadores.

    14ª. As despesas com as remessas dos lotes adquiridos, caso estes não possam ser retirados, serão de inteira responsabilidade dos arrematantes. O cálculo de frete, serviços de embalagem e despacho das mercadorias deverão ser considerados como Cortesia e serão efetuados pelas Galerias e/ou Organizadores mediante prévia indicação da empresa responsável pelo transporte e respectivo pagamento dos custos de envio.

    15ª. Qualquer litígio referente ao presente leilão está subordinado à legislação brasileira e a jurisdição dos tribunais da cidade de Campinas - SP. Os casos omissos regem-se pela legislação pertinente, e em especial pelo Decreto 21.981, de 19 de outubro de 1932, Capítulo III, Arts. 19 a 43, com as alterações introduzidas pelo Decreto 22.427., de 1º. de fevereiro de 1933.

  • CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

    A vista com acréscimo da taxa do leiloeiro de 5%.
    Através de depósito ou transferência bancária em conta a ser enviada por e-mail após o último dia do leilão.
    Não aceitamos cartões de crédito ou débito.
    O pagamento deverá ser efetuado até 72 horas após o término do leilão sob risco da venda ser desfeita.

  • FRETE E ENVIO

    As despesas com retirada e remessa dos lotes, são de responsabilidade dos arrematantes. Veja nas Condições de Venda do Leilão.
    Despachamos para todos os estados. A titulo de cortesia a casa poderá embrulhar as peças arrematadas e providenciar transportadora adequada