Item 112 de 462 Itens
Arte Sacra

MAQUINETA de salão REQUINTADO ORATÓRIO DO TIPO LAPINHA originario de minas gerais, estilo e época Dom José I, datável de meados do sec. xviii. Objeto confeccionado em madeira recortada e entalhada apresentado policromia douramento e prateamento. Policromia predominantemente em azul vermelho e ROSA. Estrutura com dois nichos sendo o superior o mais alongado que o inferior. Moldura frontal com fenda para recorte da cercadura. Anteparo de vidro. Imagens em calcita entalhada com leve policromia e douração como era o gosto da época. Cruz em madeira. oratório de fatura erudita! abertura com porta traseira. Ornamentação da talha composta por volutas, palmeta e frisos dourados. Ornamentação pictórica composta por rosinhas de Malabar. NO NICHO SUPERIOR CENA DE CRUCIFICAÇÃO COM CRISTO NA CRUZ, NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, SÃO JOSÉ, SÃO JOAQUIM, SANTANA MESTRA, SÃO JOÃO BATISTA, SANTA RITA. TODOS COM SEUS RESPLENDORES. NO NICHO INFERIOR CENA DA NATIVIDADE, SÃO JOSÉ E MARIA, OS TRES MAGOS, DOIS PASTORES, O MENINO JESUS E OVELHA. A QUALIDADE DAS IMAGENS É MUITO BOA! TETO ABOBADADO. PÉS RECURVOS. ESSE MODELO DE LAPINHA FACETADO É O MAIS ELEGANTE DOS QUE FORAM PRODUZIDOS NO SEC. XVIII, AUGE DO ESTILO DOM JOSÉ EM SUA ÉPOCA SENDO EXPOSTOS NOS SALÕES DE RESIDENCIAS ABASTADAS. MINAS GERAIS, SEC. XVIII, 80 CM DE ALTURA. (acompanha documento da família relacionando todos os proprietários do oratório desde 1765).NOTA: Meu bom amigo Dr. Eugenio Corte Real sempre gostou muito dos oratórios lapinha. Quando este oratório em pregão me foi oferecido não tinha condições para adquiri-lo na época e por isso chamei meu amigo para que negociasse para si. Melhor com um amigo do que um aventureiro não é mesmo? O oratório estava em Paraguaçu, Município perto de Lavras. Chegando a agradável casa colonial fomos recebidos com o tradicional jeito mineiro, mesa farta de café! Fomos então levados ao quarto dos santos, uma alcova dentro dos inúmeros cômodos da casa e ao entrar nos deparamos com esse lindo oratório. Depois de o analisarmos fomos a sala para negociação e o proprietário trouxe um papel onde estavam registrados todos os proprietários do oratório geração após geração da família os quais passo agora a enunciar: D. Ana Josepha da Silva nascida em 1765 que o legou a sua filha de mesmo nome D. Ana Josepha da Silva nascida em 1795. O oratório passou então ao filho de D. Ana Josepha, Francisco de Paula Dias nascido em 1827. Este legou a sua filha Amélia G. de Andrade nascida em 1850. Amélia legou a Anna Josefa da Silva nascida em 1874 que o ofertou a seu filho Carlos Pio da Silva Dias nascido em 1899, a seguir por herança coube a Lino da Silva Dias nascido em 1925 e por fim ao proprietário que o vendeu. Sete gerações e mais de duzentos anos em uma mesma família.

content image 0
content image 1
content image 2
content image 3
content image 4
content image 5
content image 6

Lote: 75

Visitas: 505

Tipo: Arte Sacra

MAQUINETA de salão REQUINTADO ORATÓRIO DO TIPO LAPINHA originario de minas gerais, estilo e época Dom José I, datável de meados do sec. xviii. Objeto confeccionado em madeira recortada e entalhada apresentado policromia douramento e prateamento. Policromia predominantemente em azul vermelho e ROSA. Estrutura com dois nichos sendo o superior o mais alongado que o inferior. Moldura frontal com fenda para recorte da cercadura. Anteparo de vidro. Imagens em calcita entalhada com leve policromia e douração como era o gosto da época. Cruz em madeira. oratório de fatura erudita! abertura com porta traseira. Ornamentação da talha composta por volutas, palmeta e frisos dourados. Ornamentação pictórica composta por rosinhas de Malabar. NO NICHO SUPERIOR CENA DE CRUCIFICAÇÃO COM CRISTO NA CRUZ, NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, SÃO JOSÉ, SÃO JOAQUIM, SANTANA MESTRA, SÃO JOÃO BATISTA, SANTA RITA. TODOS COM SEUS RESPLENDORES. NO NICHO INFERIOR CENA DA NATIVIDADE, SÃO JOSÉ E MARIA, OS TRES MAGOS, DOIS PASTORES, O MENINO JESUS E OVELHA. A QUALIDADE DAS IMAGENS É MUITO BOA! TETO ABOBADADO. PÉS RECURVOS. ESSE MODELO DE LAPINHA FACETADO É O MAIS ELEGANTE DOS QUE FORAM PRODUZIDOS NO SEC. XVIII, AUGE DO ESTILO DOM JOSÉ EM SUA ÉPOCA SENDO EXPOSTOS NOS SALÕES DE RESIDENCIAS ABASTADAS. MINAS GERAIS, SEC. XVIII, 80 CM DE ALTURA. (acompanha documento da família relacionando todos os proprietários do oratório desde 1765).NOTA: Meu bom amigo Dr. Eugenio Corte Real sempre gostou muito dos oratórios lapinha. Quando este oratório em pregão me foi oferecido não tinha condições para adquiri-lo na época e por isso chamei meu amigo para que negociasse para si. Melhor com um amigo do que um aventureiro não é mesmo? O oratório estava em Paraguaçu, Município perto de Lavras. Chegando a agradável casa colonial fomos recebidos com o tradicional jeito mineiro, mesa farta de café! Fomos então levados ao quarto dos santos, uma alcova dentro dos inúmeros cômodos da casa e ao entrar nos deparamos com esse lindo oratório. Depois de o analisarmos fomos a sala para negociação e o proprietário trouxe um papel onde estavam registrados todos os proprietários do oratório geração após geração da família os quais passo agora a enunciar: D. Ana Josepha da Silva nascida em 1765 que o legou a sua filha de mesmo nome D. Ana Josepha da Silva nascida em 1795. O oratório passou então ao filho de D. Ana Josepha, Francisco de Paula Dias nascido em 1827. Este legou a sua filha Amélia G. de Andrade nascida em 1850. Amélia legou a Anna Josefa da Silva nascida em 1874 que o ofertou a seu filho Carlos Pio da Silva Dias nascido em 1899, a seguir por herança coube a Lino da Silva Dias nascido em 1925 e por fim ao proprietário que o vendeu. Sete gerações e mais de duzentos anos em uma mesma família.

Item 112 de 462 Itens
Termos e Condições
Condições de Pagamento
Frete e Envio
  • TERMOS E CONDIÇÕES

    1ª. As peças que compõem o presente LEILÃO, foram cuidadosamente examinadas pelos organizadores que, solidários com os proprietários das mesmas, se responsabilizam por suas descrições.

    2ª. Em caso eventual de engano na autenticidade de peças, comprovado por peritos idôneos, e mediante laudo assinado, ficará desfeita a venda, desde que a reclamação seja feita em até 5 dias após o término do leilão. Findo o prazo, não será mais admitidas quaisquer reclamação, considerando-se definitiva a venda.

    3ª. As peças estrangeiras serão sempre vendidas como Atribuídas.

    4ª. O Leiloeiro não é proprietário dos lotes, mas o faz em nome de terceiros, que são responsáveis pela licitude e desembaraço dos mesmos.

    5ª. Elaborou-se com esmero o catálogo, cujos lotes se acham descritos de modo objetivo. As peças serão vendidas NO ESTADO em que foram recebidas e expostas. Descrição de estado ou vícios decorrentes do uso será descrito dentro do possível, mas sem obrigação. Pelo que se solicita aos interessados ou seus peritos, prévio e detalhado exame até o dia do pregão. Depois da venda realizada não serão aceitas reclamações quanto ao estado das mesmas nem servirá de alegação para descumprir compromisso firmado.

    6ª. Os leilões obedecem rigorosamente à ordem do catalogo.

    7ª. Ofertas por escrito podem ser feitas antes dos leilões, ou autorizar a lançar em seu nome; o que será feito por funcionário autorizado.

    8ª. Os Organizadores colocarão a título de CORTESIA, de forma gratuita e confidencial, serviço de arrematação pelo telefone e Internet, sem que isto o obrigue legalmente perante falhas de terceiros.

    8.1. LANCES PELA INTERNET: O arrematante poderá efetuar lances automáticos, de tal maneira que, se outro arrematante cobrir sua oferta, o sistema automaticamente gerará um novo lance para aquele arrematante, acrescido do incremento mínimo, até o limite máximo estabelecido pelo arrematante. Os lances automáticos ficarão registrados no sistema com a data em que forem feitos. Os lances ofertados são IRREVOGÁVEIS e IRRETRATÁVEIS. O arrematante é responsável por todos os lances feitos em seu nome, pelo que os lances não podem ser anulados e/ou cancelados em nenhuma hipótese.

    8.2. Em caso de empate entre arrematantes que efetivaram lances no mesmo lote e de mesmo valor, prevalecerá vencedor aquele que lançou primeiro (data e hora do registro do lance no site), devendo ser considerado inclusive que o lance automático fica registrado na data em que foi feito. Para desempate, o lance automático prevalecerá sobre o lance manual.

    9ª. O Organizador se reserva o direito de não aceitar lances de licitante com obrigações pendentes.

    10ª. Adquiridas as peças e assinado pelo arrematante o compromisso de compra, NÃO MAIS SERÃO ADMITIDAS DESISTÊNCIAS sob qualquer alegação.

    11ª. O arremate será sempre em moeda nacional. A progressão dos lances, nunca inferior a 5% do anterior, e sempre em múltiplo de dez. Outro procedimento será sempre por licença do Leiloeiro; o que não cria novação.

    12ª. Em caso de litígio prevalece a palavra do Leiloeiro.

    13ª. As peças adquiridas deverão ser pagas e retiradas IMPRETERIVELMENTE em até 48 horas após o término do leilão, e serão acrescidas da comissão do Leiloeiro, (5%). Não sendo obedecido o prazo previsto, o Leiloeiro poderá dar por desfeita a venda e, por via de EXECUÇÃO JUDICIAL, cobrar sua comissão e a dos organizadores.

    14ª. As despesas com as remessas dos lotes adquiridos, caso estes não possam ser retirados, serão de inteira responsabilidade dos arrematantes. O cálculo de frete, serviços de embalagem e despacho das mercadorias deverão ser considerados como Cortesia e serão efetuados pelas Galerias e/ou Organizadores mediante prévia indicação da empresa responsável pelo transporte e respectivo pagamento dos custos de envio.

    15ª. Qualquer litígio referente ao presente leilão está subordinado à legislação brasileira e a jurisdição dos tribunais da cidade de Campinas - SP. Os casos omissos regem-se pela legislação pertinente, e em especial pelo Decreto 21.981, de 19 de outubro de 1932, Capítulo III, Arts. 19 a 43, com as alterações introduzidas pelo Decreto 22.427., de 1º. de fevereiro de 1933.

  • CONDIÇÕES DE PAGAMENTO

    A vista com acréscimo da taxa do leiloeiro de 5%.
    Através de depósito ou transferência bancária em conta a ser enviada por e-mail após o último dia do leilão.
    Não aceitamos cartões de crédito ou débito.
    O pagamento deverá ser efetuado até 72 horas após o término do leilão sob risco da venda ser desfeita.

  • FRETE E ENVIO

    As despesas com retirada e remessa dos lotes, são de responsabilidade dos arrematantes. Veja nas Condições de Venda do Leilão.
    Despachamos para todos os estados. A titulo de cortesia a casa poderá embrulhar as peças arrematadas e providenciar transportadora adequada

Lotes relacionados - Arte Sacra

Lote: 98
Lote: 231A
Lote: 200
Lote: 201
Lote: 202